10 cidadezinhas nos EUA para fugir de multidões

Os Estados Unidos são um país de extremos. Vai das grandes metrópoles repletas de atrações às mais pacatas e tranquilas cidades. Dos milhões de habitantes ao vilarejo cortado por apenas uma avenida. Toda essa diversidade, felizmente, pode ser facilmente experimentada em viagens de carro desde grandes centros.

Los Angeles, Miami, Nova York, Orlando. Esta lista não falará sobre os consagrados destinos norte-americanos. Pensando naquele turista que só quer descansar, fugir da agitação e presenciar o verdadeiroamerican way of life, o Portal PANROTAS reuniu dez pequenas pérolas escondidas (porém acessíveis) em dez diferentes Estados do país.

SEDONA (ARIZONA) – 10,2 MIL HABITANTES

Você provavelmente já viu imagens de Sedona em filmes norte-americanos, principalmente nos velhos bang bang. O vermelho intenso do solo e das formações rochosas em meio ao planalto no centro-norte do Arizona é a marca da região. Apesar de famoso ponto turístico no Estado e, por isso, ter um alto fluxo de pessoas, os arredores de Sedona podem ser explorados em trilhas com paisagens deslumbrantes.

SAN LUIS OBISPO (CALIFÓRNIA) – 46,7 MIL HABITANTES

Aninhada às colinas da costa central da Califórnia, San Luis Obispo certamente não é a menor cidade do Estado. Mas o que de fato chama a atenção em SLO é seu potencial artístico, comparado a de lugares muito mais populosos. Uma das atrações mais famosas e curiosas da cidade é o Bubblegum Alley, beco de 21 metros coberto de gomas de mascar usadas.

ST. AUGUSTINE (FLÓRIDA) – 13,8 MIL HABITANTES

A Flórida costuma ser um destino voltado para a diversão, com parques temáticos e diversas praias espalhados por sua área. História não é o forte do Estado, mas isso é diferente em St. Augustine. A cidade, que foi um entreposto comercial espanhol no período colonial, mantém construções da época como o Castillo de San Marcos. Na cidade velha, o clima centenário se evidencia nas casas do século 18 e 19 que foram preservadas.

ABITA SPRINGS (LOUISIANA) – 2,3 MIL HABITANTES

No final do século 19, Nova Orleans foi acometida por uma epidemia de febre amarela. Para fugir dos ares da cidade infectada, os abastados se deslocavam para Abita Springs, do outro lado do lago Pontchartrain. Os coloridos hotéis construídos à época na região renasceram nas mãos de hippies nos anos 70 e hoje dão lugar a residências e B&B’s.

HOOPERS ISLAND (MARYLAND) – 450 HABITANTES

A cidade menos populosa desta lista é o local onde a família Phillip, em 1914, iniciou seu império no ramo dos frutos do mar, com a Phillips Seafood. Informação suficiente para se imaginar que é lá em Hoopers Island, na baía de Chesapeake, que você vai encontrar a maior variedade (e mais frescas) iguarias da região.

NORTHAMPTON (MASSACHUSSETS) – 28,5 MIL HABITANTES

Mais próximo de Albany (Nova York) do que da capital do Estado, Boston, Northampton é um daqueles locais para se visitar no outono, quando as folhagens das árvores caem e os cenários ficam espetaculares. Não deixe de se alimentar bem (nas várias opções gastronômicas da cidade) antes de se aventurar pelas trilhas próximas ao monte Holyoke.

SEA BRIGHT (NOVA JERSEY) – 1,3 MIL HABITANTES

Para uma praia sem clichês norte-americanos como o alaranjado dos bronzeamentos artificiais, Sea Bright talvez seja uma opção válida para o próximo verão. Faixa de areia com espaço para você se sentar e descansar, oferta de bares e, claro, sorvete – não à toa Sea Bright é uma das escolhas locais favoritas da população de New Jersey nas férias.

HUDSON (NOVA YORK) – 6,5 MIL HABITANTES

O mesmo nome do rio que corta Manhattan também batiza esta pequena cidade distante duas horas ao norte da Big Apple. Apesar da proximidade geográfica, elas parecem alocadas em universos diferentes. Hudson é famosa pela calmaria, seus antiquários e galerias de arte. A cena gastronômica local também vale uma menção positiva.

AMBLER (PENSILVÂNIA) – 6,5 MIL HABITANTES

No Estado que teve papel central na história do país, nada melhor do que visitar uma típica cidade que gira em torno de sua Main Street. “Típica” talvez seja exatamente o termo para descrever Ambler, com suas casas de tijolos aparentes, pubs e butiques. O tradicional também convive com o novo, representado pelos restaurantes e cervejarias locais.

ABINGDON (VIRGÍNIA) – 8 MIL HABITANTES

A rica cultura do sudoeste da Virgínia moldou a música country norte-americana, um dos gêneros mais escutados nos Estados Unidos até hoje. Essa riqueza extrapolou a música e, na charmosa Abingdon, chegou ao teatro. Com produções próprias e artistas profissionais, o Barter Theatre tem fama nacional e certamente vale uma visita (até porque não é todo dia que se assiste a uma peça no local em que Kevin Spacey começou sua carreira).

Fonte: Panrotas

 

Tagged ,