Gestores não comunicam sobre ferramentas de reservas on-line

Embora 92% dos gestores de viagens digam que já adotaram ferramentas de reservas on-line, uma pesquisa recente mostra que mais da metade admite não se comunicar regularmente com os funcionários sobre o real valor e importância dessas soluções.

De acordo com levantamento do Acte com a American Express Global Business Travel, apenas 47% dos travel managers ensinam seus viajantes sobre essas plataformas. Surpreendentemente, 8% dos entrevistados disseram que sua empresa nunca se comunicou com os colaboradores sobre esta questão, nem mesmo durante o processo de integração.

E enquanto 81% disseram que sua companhia exige que as equipes reservem viagens por meio de ferramentas e plataformas da empresa, 5% deles admitiram que a adoção por estes serviços é, atualmente, inferior a 10%.

“Os gestores devem ter cuidado com a evolução das expectativas dos viajantes. A experiência de reserva precisa ser altamente flexível e deve ter a aparência e a sensação de quando eles reservam suas viagens pessoais”, conta o diretor de pesquisas do Acte, Fitzgerald Draper.

O executivo explica ainda que, embora a personalização e o ajuste adequado sejam aspectos importantes da seleção de ferramentas de reserva on-line de uma empresa, os usuários também precisam entender o valor e a funcionalidade da plataforma. Por isso os travel managers devem procurar maneiras colocar em foco a solução selecionada para seus viajantes, incluindo todos os benefícios que a acompanham.

E quando perguntados por que acreditam que os funcionários não estão usando os serviços obrigatórios, 39% dos participantes responderam que os viajantes acham que podem conseguir um preço melhor e economizar dinheiro em outro lugar. Isso mostra que existe, sim, uma falta de compreensão sobre a importância de se utilizar a plataforma em questão.

“A reserva por meio de ferramentas on-line é uma parte essencial da experiência de viagem e deve ser um canal agnóstico e onipresente, onde quer que o viajante esteja. Para que um programa de viagens funcione, as empresas precisam implementar plataformas que sejam intuitivas e agradáveis de usar, ao mesmo tempo em que implementem um kit de marketing para reforçar que o programa é bom para eles e para a companhia”, explica o vice-presidente de Marketing e Estratégia de Produto da Amex GBT, Evan Konwiser.

Fonte: Panrotas