Vegas aposta em diversidade para atrair viajantes corporativos

Uma das cidades norte-americanas que mais sofreu com a recente recessão econômica global, Las Vegas quer seguir como um dos principais destinos do país, tanto para viajantes corporativos como de lazer. Por isso, um relatório desenvolvido pela Skift em conjunto com a Vegas Means Business destaca como a “Cidade do Pecado” vem superando a crise internacional graças à diversificação dos seus negócios.

“Las Vegas está amadurecendo como um lugar, e estamos nos tornando mais conhecidos por desenvolver outras indústrias além das relacionadas a jogos e hospitalidade. Isso proporciona novas oportunidades para conectar pessoas em reuniões e convenções, aumentando a nossa credibilidade e atraindo novos mercados para locações na cidade”, comentou o presidente da Las Vegas Convention and Visitors Authority (LVCVA), Steven Hill.

De acordo com a pesquisa, existem sete setores chave para o progresso da cidade: Jogos, Turismo e Convenções; Saúde e Ciência; TI e Negócios; Logística, Fabricação e Montagem; Tecnologia Limpa; Defesa e Sistemas Aéreos Não Tripulados; e Finanças. Todos são considerados de grande potencial para a atração de eventos corporativos na região do sul de Nevada, que continua se modernizando para atender a este exigente mercado.

O Las Vegas Convention Center District, por exemplo, está passando por um processo de expansão e renovação que aumentará os níveis de conectividade, mobilidade e capacidade dentro e ao redor do centro de convenções. O projeto de US$ 1,4 bilhão inclui uma nova sala de exposições de mais de 55 mil metros quadrados com conclusão prevista para janeiro de 2021.

Outro exemplo dos avanços locais em busca da diversificação do mercado foi a abertura de uma arena de e-sports no Luxor Resort & Casino, que é operado pela MGM Resorts International. Hoje em dia, a indústria dos games movimenta bilhões de dólares mundialmente e está diretamente ligada às próximas gerações de pessoas que participarão de grandes reuniões e eventos nas próximas décadas.

 

Fonte: Panrotas