Moscou

À primeira vista, Moscou pode intimidar como destino de viagem, especialmente se comparada com cidades bem mais tradicionais no turismo, a exemplo de Paris e Londres. No entanto, ao desembarcar na capital da Rússia é bem provável que essas primeiras impressões fiquem em segundo plano diante de uma cidade extremamente vibrante, com bagagem histórica gigante e onde o número de turistas só tem aumentado a cada ano.

Andar pelas ruas da bela e movimentada metrópole proporciona ao visitante sensações únicas e de total encantamento. Ver de perto grandiosos monumentos e pontos turísticos famosos, como a Praça Vermelha, o complexo do Kremlin – a sede do governo -, o Teatro Bolshoi e a Catedral de São Basílio (aquela com as cúpulas coloridas) vale cada centavo empregado na viagem!

Definitivamente, a arquitetura é um ponto forte e que chama bastante a atenção do visitante durante as andanças pela cidade. Em meio aos pontos citados anteriormente e construções antigas sobreviventes à era Stalin, você vai encontrar arranha-céus extremamente modernos e lojas tão luxuosas que em nada lembram o passado comunista. Um cenário que, ao nosso ver, simboliza muito o que Moscou representa nos dias de hoje: uma capital que valoriza cada momento vivido no passado, porém bastante focada no futuro.

Moeda

Moscou é uma cidade cosmopolita cuja população atual é composta por mais de 10 milhões de pessoas. O idioma local é o russo e, apesar de a língua inglesa não ser muito difundida por lá, é possível sim se comunicar nas áreas turísticas. A maioria dos pontos importantes da capital, como museus e monumentos, por exemplo, disponibilizam informações para os visitantes em inglês e em outros idiomas, como espanhol e francês.

A moeda local é o Rublo (RUB), dividido em 100 kopecs . Você pode cambiar uma certa quantia de dinheiro antes de desembarcar em Moscou, para não chegar totalmente desprovido, porém casas de câmbio e caixas eletrônicos estão espalhadas pelos mais diversos pontos da cidade.

 

O que fazer em Moscou

Moscou é uma cidade realmente grande, mas a boa notícia é que vários pontos turísticos e monumentos importantes estão a uma curta distância uns dos outros, como Kremlin, Praça Vermelha, museus Pushkin, Galeria Tretyakov, entre outros. Para acessar todos os outros pontos, no entanto, o visitante tem à sua disposição o eficiente metrô, o meio de transporte preferido por locais e visitantes.

Reserve ao menos quatro dias de estadia se a sua intenção é explorar a cidade adequadamente. Fique atento, também, para o fato de que a visita a alguns lugares – como o Kremlin –  precisa ser pensada com certa antecedência, pois os horários de entrada são pré-estabelecidos pela organização local. O Teatro Bolshoi é outra atração que não pode ficar para a última hora devido aos ingressos, que costumam se esgotar num piscar de olhos.

Os valores cobrados pela maioria dos pontos turísticos da capital não são tão abusivos, se comparados com cidades europeias consideradas caras, como Paris e Londres, porém, na Rússia o turista acaba desembolsando mais do que o habitante local, e isso está explícito em placas que ficam na entrada das atrações. Segundo informações locais, os rublos a mais pagos por visitantes acabam custeando a manutenção desses pontos turísticos.

 

 

Praça Vermelha (Красная площадь)

Parada obrigatória em Moscou, a Praça Vermelha é também um dos pontos turísticos mais conhecidos da cidade mundo afora. A ampla área não só abriga construções importantes, como a Catedral de São Basílio, mas também foi palco de vários acontecimentos ao longo da história, como na ocasião em que Ivan, o Terrível, mutilou presos no local, ou quando, em 1812, Napoleão utilizou o espaço para se dirigir às suas tropas.

A bela praça também passou por algumas transformações ao longo dos anos. O atual Portão da Ressurreição, por exemplo, é uma réplica do original, datado do século XVII, derrubado a mando de Stalin para facilitar o acesso das tropas. Do lado de fora desse portão você também vai ver a placa que simboliza o Marco Zero da cidade. Diz a lenda que o visitante deve lançar uma moeda para atrair sorte. O problema, no entanto, são os espertinhos que estão ali para recolher a moeda que você acabou de jogar – sem cerimônia alguma, diga-se de passagem.

Além da famosa catedral com suas cúpulas coloridas, um dos símbolos de Moscou, na Praça Vermelha você vai encontrar edifícios como o Museu de História e a catedral Kazan. O mausoléu de Lênin, os túmulos de heróis soviéticos nos muros do Kremlin e o shopping GUM também estão situados nesse espaço, considerado o coração e a alma da capital.

Shopping GUM (ГУМ)

As vitrines que ficam do lado de fora do belo prédio denunciam: o shoppping GUM (ГУМ, em russo) é um dos templos de consumo mais famosos de Moscou. A bela construção, que fica em uma porção da Praça Vermelha, bem de frente para os muros do Kremlin, é difícil de ser ignorada, mesmo que a intenção não seja comprar algum dos itens de luxo vendidos por lá.

Antes de entrar no recinto, preste atenção a cada detalhe da deslumbrante fachada e, ao passar por uma das portas de acesso, não deixe de admirar o belíssimo teto de vidro desenhado pelo engenheiro V. Shukhov.

A dica para os que estiverem com tempo disponível é sentar-se em um dos cafés do local, como o Illy (no segundo piso), por exemplo, e tomar um bom cappuccino italiano acompanhado de uma fatia de torta. Uma excelente maneira (e nada cara!) de admirar a arquitetura e a decoração do local. Alguns restaurantes também podem ser encontrados no GUM, a exemplo do Bosco Cafe.

 

As Sete Irmãs de Stalin

Ao andar por Moscou você, com certeza, vai encontrar, ou ao menos avistar, mesmo que de longe, alguns dos sete famosos arranha-céus conhecidos como As sete irmãs de Stalin (The Seven Sisters, em inglês). Os imponentes prédios – cuja arquitetura impressiona bastante –  foram erguidos a mando do líder russo para celebrar a vitória da União Soviética na Segunda Guerra.

O maior deles – talvez o mais bonito – está situado no campus da MGU, a maior universidade da Rússia. Os números são impressionantes: mais de 400 arquitetos trabalharam no projeto do prédio, que tem 235 metros de altura, é perfeitamente simétrico e carrega uma estrela de mais de 10 toneladas no topo. Da plataforma de observação de Vorobyovy Gory é possível ter uma excelente visão desse belo edifício.

 

Bairro Kitay-Gorod (Китай-город)

Bares, restaurantes e casas noturnas… Kitay-Gorod (China Town, em inglês) é um bairro altamente indicado para os que pretendem curtir a noite de Moscou. Outra grande vantagem é o fato de o distrito estar muito próximo de pontos turísticos importantes da cidade, a exemplo da Praça Vermelha e do Kremlin, o que também faz do bairro uma boa opção de hospedagem.

O bar/restaurante Propaganda (confira o nosso post aqui), em Kitay-Gorod, tem um cardápio incrível; além disso as noitadas do local são famosas e costumam ir até de manhã. Outras alternativas para os que buscam diversão são: o café/bar Jean-Jacques, perfeito para os amantes do vinho; o Vogue Cafe, com uma bela decoração, porém preços um pouco mais elevados; e a movimentada rua Lubyanskiy proyezd (uma das saídas da estação do metrô Kitay-Gorod), onde está a animada casa noturna China Town Cafe.

 

 

Catedral da Assunção/Kremlin

A imponente catedral ortodoxa situada dentro do Kremlin – a sede do governo russo – foi palco de vários acontecimentos importantes, a exemplo da coroação de Ivan, o Terrível, conhecido como o maior tirano da história do país. Originalmente erguida em 1326, a catedral passou por uma remodelação em 1470 e, sob o comando comunista, a igreja se tornou museu, em 1918.

Com um design externo belíssimo e que impressiona muito, principalmente devido às cúpulas douradas, a Catedral da Assunção também tem um interior estonteante, com destaque para a iconóstase, uma parede de ícones emoldurados, datada de 1813 (a original, de 1652, foi destruída pelas tropas de Napoleão), os afrescos de 1511 espalhados por toda a igreja e os pilares centrais, que exibem retratos de mártires. Lá dentro ainda estão um trono, que Ivan, o Terrível, utilizava para rezar, um candelabro de ouro, entre vários outros tesouros.

Para conhecer essa catedral você precisa adquirir um ingresso para o conjunto de catedrais/museus do Kremlin, no escritório que fica situado nos Jardins de Alexandre (clique aqui para conferir o nosso post). Além da Catedral da Assunção, você terá acesso à praça das catedrais, que comporta outras igrejas belíssimas, como a Catedral da Anunciação, a Catedral do Arcanjo, e o Palácio do Patriarca, entre outros.

A entrada custa RUB 350 e o melhor é adquiri-la com certa antecedência, isso porque a visita às catedrais do Kremlin acontecem todos os dias, menos às quintas-feiras, em horários pré-determinados. Clique aqui para checar os horários e obter mais informações.

 

Jardins de Alexandre (Александровский сад)

O concreto predomina em grande parte do centro de Moscou, mas mesmo assim é possível encontrar áreas verdes ideais para um passeio ou momentos de descanso, como é o caso dos Jardins de Alexandre (Aleksandrovskiy Sad ou Александровский сад). Neste parque, vizinho aos muros do Kremlin, o visitante encontra belas fontes e estátuas; além disso, lá está situado o Memorial do Soldado Desconhecido, uma homenagem aos que perderam suas vidas durante a Segunda Guerra Mundial.

As entradas para os museus do Kremlin devem ser adquiridas em um ponto de vendas situado no próprio Jardim (veja fotos). O escritório abre diariamente, das 9h às 17h, e a dica do MD é que você adquira esses ingressos com certa antecedência, pois os horários de visitação dos museus são pré-estabelecidos. Longas filas também costumam se formar em frente aos quiosques de venda de ingressos. Para evitá-las, chegue cedo.

Mausoléu de Lenin

O mausoléu de granito situado na Praça Vermelha abriga o corpo de uma das personalidades políticas mais famosas da Rússia, o chefe de Estado e líder da Revolução Russa. Conhecer o mausoléu de Lenin não é missão das mais fáceis, isso porque, depois de enfrentar uma fila que costuma ser demorada, especialmente no verão, o visitante passa por um detector de metais/revista e só depois disso é que segue para o local.

Não é permitido entrar com mochilas/bolsas grandes, celulares ou máquinas fotográficas; os visitantes devem deixar esses pertences em um guarda-volumes que fica ao lado da entrada (e custa RUB 50 por pessoa). O trajeto até o mausoléu, no qual o visitante passa por túmulos de líderes soviéticos, é totalmente vigiado por policiais russos.

Já na porta, a segurança e o número de policiais aumentam. Lá dentro não é permitido nenhum movimento brusco, além do uso de telefones celulares – muito menos de máquinas fotográficas. O uso de bonés, chapéus e até o simples ato de colocar as mãos nos bolsos são tidos como sinal de desrespeito.

A visita ao interior do mausoléu não costuma demorar mais do que cinco minutos. Um caixão de cristal contendo o corpo embalsamado do líder russo – falecido em 1924 – está posicionado no centro da cripta e o estado de conservação é tão bom que gera muitas dúvidas por parte do grande público. Autoridades russas, no entanto, afirmam que o corpo é sim do chefe de estado e está bem conservado devido a uma técnica especial desenvolvida por cientistas soviéticos.

O mausoléu de Lenin abre de terça a quinta-feira, aos sábados e aos domingos, das 10h às 13h. A entrada é gratuita e a dica para os que desejam evitar filas é chegar mais cedo ao local.

 

Metrô Mayakovskaya

atada de 1938, a estação que homenageia o poeta russo Vladimir Mayakovsky (1893-1930) é, com certeza, uma das que mais atraem a atenção dos turistas em Moscou. De beleza única, a estação que atende a linha verde tem 33 metros de profundidade e impressiona pelos belíssimos mosaicos de teto.

Segundo o site do metrô de Moscou, o design do local recebeu um prêmio em Nova York, em 1938, e nos anos 80 Mayakovskaya se tornou monumento arquitetônico. Já em 2001, a estação passou a fazer parte da lista de monumentos históricos e culturais da capital da Rússia.

Outras estações que valem a pena ver de perto: Komsomolskaya e Kropotkinskaya (linha 1 – vermelha), Ploshchad Revolyutsii (linha 3 – azul-escuro).

 

Mosteiro Novodevichy (Новоде́вичий монасты́р)

A beleza interna e externa deste convento de Moscou é de deixar qualquer um impressionado. Situado em uma área privilegiada, bem próximo das margens do Rio Moscou, o Mosteiro Novodevichy foi fundado pelo grande duque Vasily III, em 1524, em celebração à recaptura de Smolensk dos Lituanos (1514).

Dentro dos muros do local, que muito lembram os do complexo do Kremlin, o visitante vai encontrar uma belíssima catedral ortodoxa dedicada a Nossa Senhora de Smolensk, cujo design é bem parecido com a Catedral da Assunção. Em seu interior estão um fabuloso iconóstase de cinco fileiras, uma parede de ícones doada pela tsarevna Sophia – que em 1689 foi forçada a entrar para o convento -, além de belíssimos afrescos datados do século XVI.

O cemitério do convento também costuma atrair uma grande quantidade de visitantes por abrigar os túmulos de personalidades como o escritor russo Bulgakov, o ator e diretor Constantin Stanislavski, o ex-presidente Boris Yeltsin, entre outros.

O complexo do Mosteiro Novodevichy, que inclui ainda a Torrre do Sino e outros aposentos que valem a visita, abre de quarta a segunda-feira, das 7h às 17h; os museus, das 9h às 17h. As entradas para os museus do convento custam RUB 250 (adultos) e RUB 100 (estudantes). Para tirar fotos no interior dos museus, é preciso pagar um adicional de RUB 100.

 

Compras em Moscou

São grandes a quantidade e a variedade de lojas existentes em Moscou – são tantas que a cidade mal parece ter vivido durante tanto tempo sob as regras do comunismo. Ao andar pelo centro da capital da Rússia o visitante vai encontrar shopping centers, grandes e luxuosas lojas de departamentos e ruas inteiras dedicadas ao consumo, um verdadeiro deleite para aqueles que não perdem a chance de fazer umas boas comprinhas.

Em geral, as lojas do centro da cidade costumam funcionar diariamente, das 9h às 18h – lembrando que os estabelecimentos mais afastados do centro podem fechar para o almoço. Os shoppings costumam abrir por volta das 10h e fechar por volta das 22h.

É bom saber que nas grandes lojas de departamentos e em determinadas ruas da cidade você vai encontrar preços pouco convidativos e muitas vezes até mais caros do que em várias cidades europeias. Grifes famosas e artigos eletrônicos são exemplos disso. Já em estabelecimentos mais populares, como é o caso das lojas de suvenires da Rua Arbat, é possível comprar artigos variados, como as famosas bonecas russas (Matrioshka), a preços mais camaradas.

Confira abaixo a nossa seleção dos melhores pontos de compra em Moscou e boas compras!

 

Shopping GUM (ГУМ)

As vitrines que ficam do lado de fora do belo prédio denunciam: o shoppping GUM (ГУМ, em russo) é um dos templos de consumo mais famosos de Moscou. A bela construção, que fica em uma porção da Praça Vermelha, bem de frente para os muros do Kremlin, é difícil de ser ignorada, mesmo que a intenção não seja comprar algum dos itens de luxo vendidos por lá.

Antes de entrar no recinto, preste atenção a cada detalhe da deslumbrante fachada e, ao passar por uma das portas de acesso, não deixe de admirar o belíssimo teto de vidro desenhado pelo engenheiro V. Shukhov.

A dica para os que estiverem com tempo disponível é sentar-se em um dos cafés do local, como o Illy (no segundo piso), por exemplo, e tomar um bom cappuccino italiano acompanhado de uma fatia de torta. Uma excelente maneira (e nada cara!) de admirar a arquitetura e a decoração do local. Alguns restaurantes também podem ser encontrados no GUM, a exemplo do Bosco Cafe.

O shopping GUM abre diariamente, das 10h às 22h. Mais informações no site.

 

Okhotny Ryad Shopping Center

Em Moscou você vai encontrar uma grande quantidade de lojas de rua, porém os shopping centers também são bastante comuns por lá – além, é claro, de serem uma excelente opção durante o inverno. Situado em frente aos Jardins de Alexandre, o Okhotny Ryad é um shopping com várias lojas, algumas delas bem populares, como Zara, Adidas e G-star. Lá o visitante também encontra restaurantes e lanchonetes do tipo fast food, a exemplo de McDonald’s, Burger King e KFC.

 

Petrovka Boulevard

Verdadeiro paraíso para os apaixonados por compras, esta rua de Moscou abriga em seus prédios do século XIX várias opções de lojas e também alguns hotéis.

Um dos endereços mais famosos da área é o shopping Tsum (ЦУМ, em russo), uma bela loja de departamentos russa onde você vai encontrar várias marcas mundialmente famosas, como Gucci, Marc Jacobs, Givenchy, entre outras.

Onde comer em Moscou

Muita gente não sabe, mas o estrogonofe de carne – um prato que é tão comum para nós, brasileiros – foi criado na Rússia. A nossa versão acaba sendo bem parecida com a original, mas a verdade é que a culinária russa, por incrível que pareça, vai muito além do delicioso prato à base de creme de leite fresco (que por lá é servido acompanhado de purê de batatas ou de batatas assadas/fritas).

Alguns cafés e restaurantes de Moscou impressionam pela gastronomia variada e com especialidades de vários países. São estabelecimentos como o café Eat & Talk (confira o post abaixo), onde você tem um cardápio com opções de pratos locais, pizzas, massas, sanduíches e até sushi. Excelente, não? A boa notícia é que, geralmente, esses tipos de estabelecimentos não costumam ser caros – excelente opção para quem não pretende gastar tanto com alimentação.

Além do já mencionado estrogonofe, você não pode deixar de experimentar o Pelmeni, uma espécie de ravióli recheado com carne e creme de leite fresco, com molho. Blinis são panquecas superfininhas feitas de trigo, que, geralmente, são consumidas no café da manhã. Recheios como ovas de salmão, sour cream e caviar (outra iguaria local muito famosa), por exemplo, são bem comuns.

Outra boa pedida é a sopa ucraniana Borscht, à base de beterraba e servida superquente, excelente para dias frios. Muito popular no país, o prato ainda leva uma boa dose de creme de leite, para dar cremosidade. O popular Frango a Kiev, peito recheado e muito suculento, também figura entre os destaques da gastronomia local (é um prato que, apesar de levar o nome da capital da Ucrânia, teria sido criado na Rússia).

Vodka

A vodka está para a Rússia assim como o champanhe está para a França. Difícil encontrar um cardápio de bar ou restaurante de Moscou que não ofereça doses da bebida destilada, que é uma das mais famosas do mundo. Shots de vodka não costumam ser caros nesses tipos de estabelecimento, mas, se a intenção é pagar preços ainda mais em conta, a dica é adquirir garrafas da bebida em algum supermercado. Confira abaixo algumas marcas famosas na Rússia:

– “Rusky Standard – Русский Стандард”;

– Beluga;

– зимняя дорога.

 

Bairro Kitay-Gorod (Китай-город)

Bares, restaurantes e casas noturnas… Kitay-Gorod (China Town, em inglês) é um bairro altamente indicado para os que pretendem curtir a noite de Moscou. Outra grande vantagem é o fato de o distrito estar muito próximo de pontos turísticos importantes da cidade, a exemplo da Praça Vermelha e do Kremlin, o que também faz do bairro uma boa opção de hospedagem.

O bar/restaurante Propaganda, em Kitay-Gorod, tem um cardápio incrível; além disso as noitadas do local são famosas e costumam ir até de manhã. Outras alternativas para os que buscam diversão são: o café/bar Jean-Jacques, perfeito para os amantes do vinho; o Vogue Cafe, com uma bela decoração, porém preços um pouco mais elevados; e a movimentada rua Lubyanskiy proyezd (uma das saídas da estação do metrô Kitay-Gorod), onde está a animada casa noturna China Town Cafe.

 

Bosco Cafe

Da varanda deste restaurante se tem uma das vistas mais famosas de Moscou: a Praça Vermelha. Em dias mais quentes, esta área externa é ideal para um almoço, jantar ou simplesmente um drinque, mas, considerando o clima ao longo do ano, não custa lembrar que o restaurante, localizado no térreo do shopping Gum, também tem uma parte interna bastante aconchegante e cardápio repleto de delícias da culinária italiana.

Aqui você confere o cardápio completo, incluindo os preços dos pratos (em Rublos). O Bosco Cafe abre diariamente, das 10h às 22h. Para reservar uma mesa (recomendável, principalmente nos fins de semana) é só ligar para o número: +7 (495) 620 3182. Mais informações no website da casa.

Eat & Talk Cafe

Em Moscou você vai encontrar muitos estabelecimentos parecidos com o Eat & Talk: uma mistura de bar, restaurante e café, com decoração moderninha e música ambiente. O cardápio também é surpreendentemente variado, incluindo alguns clássicos da culinária russa, como o pelmeni e a sopa Borscht. O local tem opções de café da manhã, pizzas, massas, sanduíches e até comida japonesa, todos a preços superconvidativos.

O Café Eat & Talk funciona 24 horas por dia e fica bem próximo da Biblioteca de Lênin (a Biblioteca do Estado Russo).

 

Restaurante Oblomov

Situado em uma rua extremamente tranquila de Moscou, em uma bela casa de estilo colonial, está o restaurante especializado em culinária russa. O ambiente é bem aconchegante, com interior ricamente decorado e área externa rodeada de varandas, ideal para os dias mais quentes.

No cardápio do Oblomov estão vários clássicos da gastronomia local, como a sopa ucraniana Borscht, o famoso estrogofe de carne, entre várias outras delícias. O restaurante abre diariamente, a partir do meio-dia. Mais informações e reservas pelo site ou por telefone.

My My (Rua Arbat)

Moscou é uma cidade considerada cara no quesito alimentação, mas, apesar da fama, é possível encontrar cafés e restaurantes com preços mais acessíveis. A rede My My (pronuncia-se Mu Mu) está entre eles. O cardápio é incrivelmente variado: opções de café da manhã, saladas, pizzas, sopas e até sushi. Refeições gostosas e preparadas rapidamente – outra vantagem para aqueles que estão com pressa.

O endereço do restaurante cadastrado no MD é o da rua Arbat, um dos endereços mais antigos e famosos de Moscou, mas a boa notícia é que estabelecimentos da rede estão espalhados por toda a cidade.

Dicas de Moscou

Saque de dinheiro/Câmbio

Evite sacar dinheiro em caixas eletrônicos que não estejam acoplados a agências bancárias. Caso o seu cartão fique preso na máquina, é possível recuperá-lo de volta rapidamente. Além disso, não se arrisque trocando moeda com estranhos nas ruas. Dirija-se à casa de câmbio mais próxima, é sempre mais seguro!

Segurança

Muita gente tem dúvidas sobre quão segura é a capital da Rússia para turistas. Como em toda cidade grande, é preciso ter muito cuidado. Fique sempre atento a bolsas, carteiras e mochilas devido à presença de batedores, principalmente em áreas muito cheias.

A região turística costuma ser segura, porém é bom não vacilar, evitando andar sozinho muito tarde da noite ou dando a entender que é turista – falando alto em outro idioma e exibindo câmeras fotográficas, por exemplo. Outra dica é que o visitante ande com cópias do passaporte na bolsa e mantenha o documento original guardado em um lugar seguro.

No Táxi

Em Moscou, qualquer carro na rua é um táxi em potencial. Basta acenar para que vários veículos particulares se ofereçam para fazer a corrida. A dica, porém, é sempre optar por táxis oficiais com taxímetro ou taxistas que negociem a corrida previamente; caso contrário, você pode pagar um valor absurdo.

No Metrô

Permaneça sempre do lado direito nas escadas rolantes, caso não esteja com pressa. O lado esquerdo fica livre para os que precisam se deslocar com mais rapidez dentro da estação.

Cuidado ao atravessar a rua!

O trânsito em Moscou, realmente, não é dos mais fáceis, mas passagens subterrâneas para pedestres estão espalhadas por todas as partes da cidade. O melhor é sempre optar por essas galerias, quando disponíveis, e não se arriscar tentando atravessar a rua.

No restaurante

A maioria dos bares e restaurantes de Moscou não inclui a gorjeta na conta final, porém é de praxe que o cliente reserve ao menos 10% para o prestador do serviço.

 

 

 

Fonte:

Melhores Destinos 

Ci intercambio 

Vou na Janela

Time 

Russia Beyond

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado