Deserto do Atacama

O Deserto do Atacama, considerado o deserto mais seco do mundo, tem cerca de 105.000 km, e está, predominantemente, localizado no Chile. Ao contrário do que muita gente pode pensar, esse deserto tem paisagens que vão muito além das tradicionais dunas de areia e reserva cenários supreendentes, justamente por ir muito além do que nos remete à mente quando pensamos em “deserto”.

Lagos a 4.000 metros de altitude, formações rochosas esculpidas pelo vento, vida selvagem, superfíceis que se assemelham com a da lua, lagos em que não se afunda, curiosos vilarejos, sítios arqueológicos, deserto de sal e um céu… ah, um céu de tirar o fôlego, seja de dia, quando um azul intenso toma conta, seja de noite, quando milhares de estrelas protagonizam o espetáculo. O Atacama é palco de paisagens incríveis e muito variadas.

Onde Ficar:

O Deserto de Atacama ocupa uma área enorme do Chile e algumas cidades e vilarejos estão localizadas ao longo do deserto, mas o local que oferece a melhor localização e estrutura para explorar suas belezas é San Pedro de Atacama.

A vila de San Pedro, com ruas de terra e construções de adobe, está a cerca de 100 km de Calama, uma cidade de grande porte, onde há minas de cobre e um aeroporto com voos diários para Santiago. Calama não é tão interessante para se hospedar, hoje em dia é considerada uma cidade decadente, embora haja alguns pontos que podem valer um passeio. Fique mesmo em San Pedro, um vilarejo simples, mas bem interessante e completamente voltado para o turismo.

Não pense que, por ser pequeno, o local tem apenas acomodações simples, na verdade, a realidade é bem diferente desse pensamento. San Pedro tem albergues, acomodações do tipo bed & breakfast e hotéis excelentes, como o Hotel Explora, que é considerado um dos melhores do mundo e funciona no modo all inclusive. Quando for reservar uma acomodação, note que “hostal” não é a mesma coisa que um albergue, é na verdade uma acomodação simples, que tem quartos individuais.

Dicas:

– Brasileiros que viajam a turismo por até 90 dias ao Chile não necessitam de visto. O passaporte não é obrigatório, dessa forma, é possível entrar no país com um RG que permita a fácil identificação do portador pela foto. Não é possível utilizar a CNH para entrar no país, mas se você pretende alugar um carro, ela será necessária.

– Vacinas não são obrigatórias para entrar no Chile.

– Fala-se espanhol no Chile e, pela semelhança entre português e espanhol, não é tão difícil compreender e ser compreendido ao falar português. As pessoas de San Pedro já estão acostumadas aos brasileiros que visitam a cidade e várias falam português.

– A moeda oficial do Chile é o peso chileno (CLP), representado cotidianamente por um “$”. Ela pode ser adquirida no Brasil ou no Chile e também pode ser retirada nos caixas eletrônicos chilenos, diretamente em pesos. Sim, há caixas eletrônicos em San Pedro de Atacama, assim como casas de câmbio. Provavelmente, a maneira mais vantajosa de conseguir pesos será levando reais para o Chile e trocando-os em Santiago.

– Os valores dispostos neste guia se referem a pesos chilenos.

– San Pedro não é um destino barato, na verdade, em alguns pontos, é até um destino caro; tenha isso em mente na hora de planejar a viagem. Os gastos com passeios podem ser altos.

– San Pedro tem muitos cachorros e alguns deles são enormes! Vários desses cachorros que ficam nas ruas têm donos, são cuidados e têm até chip de localização. Alguns pertencem aos donos dos restaurantes, outros a moradores da cidade.

– Mesmo sendo um local pequeno, há caixas eletrônicos em San Pedro! Desbloqueie o seu cartão para uso internacional e você deverá conseguir realizar saque e fazer pagamentos de despesas com seu cartão normalmente.

Dicas de Saúde

– A altura é um fator importantíssimo a se considerar na hora de planejar a viagem. Muitas pessoas não pensam sobre o assunto, mas viaje sabendo que ela pode provocar efeitos indesejados no corpo e na saúde. Devido ao “soroche”, ou o mal de altura, nome dado à doença provocada pela grande altitude, é relativamente comum sentir cansaço, ter enjoos, falta de ar, dor de cabeça e mal estar geral. A baixa umidade do deserto também pode provocar problemas, por isso hidrate o corpo e beba MUITA água durante a viagem. Tomar o chá de coca também é uma ótima ideia para diminuir os efeitos da altura.

– Nas farmácias procure pelas “soroche pills”, remédio que pode começar a ser tomado antes mesmo de chegar a San Pedro, e que ajuda a evitar o mal de altura. Essas recomendações valem também para quem visitará o Salar de Uyuni, cuja altura ultrapassa os 4.000 metros.

– San Pedro está a 2.450 metros de altitude, então, o ideal é que você faça atividades mais leves nos primeiros dias de viagem e vá se aclimatando devagar. Se puder descansar no primeiro dia de chegada, melhor ainda. Nos primeiros dias faça os passeios mais próximos de San Pedro e deixe para o final da viagem os passeios com maior altitude.
Durante os primeiros dias no Atacama, você pode fazer passeios para o Vale da Morte e da Lua, Laguna Cejar, Vale do Arco-Íris. Quando já estiver aclimatado, faça os passeios de maior altitude, como Salar de Tara, Lagunas Altiplanicas e Geyser del Tatio.

– Monte uma “farmacinha” pessoal e leve todos os medicamentos que você possa precisar durante a viagem. Alguns medicamentos que são de compra livre no Brasil exigem receita para serem comprados no Chile. Consulte um médico, que poderá auxiliá-lo e indicar medicamentos que podem ser úteis em um caso de emergência durante a viagem. Sugerimos levar, principalmente, soro para lavar o nariz, além de remédio para dor de cabeça, dor de estômago e náuseas. Leve também hidratante para o corpo e rosto, além de protetor solar. Usar um produto como o Bepantol (ou similar) cai muito bem para hidratar a boca e evitar feridas.

– Se estiver com dificuldades para respirar por causa da baixa umidade, lave o nariz com sono e utilize um produto que ajude a desobstruir as vias respiratórias. De noite, no quarto, coloque uma toalha molhada próxima à cama.

– Procure fazer refeições leves e beber muita água ao longo de sua estadia. Recomenda-se levar 1,5 litro de água em cada um dos passeios. Evite carne vermelha e bebida alcoólica na refeição anterior a um passeio que vá a locais muito altos.

O que levar 

– Mochila para carregar seus pertences no passeios;
– Toalha, caso pretenda entrar na água (outra alternativa é pegar a toalha do hotel emprestada);
– Óculos escuros;
– Boné ou chapéu;
– Protetor solar (é possível comprar em San Pedro mesmo, algumas marcas de protetor são bem baratas lá);
– Roupas de inverno e verão. Caso viaje no inverno, intensifique a quantidade de roupas de inverno. Pode cair bem incluir uma segunda pele para se proteger do frio, gorro, luvas etc. Esses itens de frio intenso serão mais utilizados durante o inverno ou nos passeios que saem de manhã cedinho e vão para locais muito altos, como o Salar de Tara e Gêisers del Tatio;
– Tênis ou sapatos para trekking;
– Hidratante para o corpo, rosto e boca;
– Remédios de emergência, como remédios para dor de cabeça e enjoo, soro para o nariz, além de remédios de uso diário;
– Lanterna (pode ser útil para passar por ruas escuras).

O que fazer:

O Atacama reserva belezas naturais incríveis e o melhor local para utilizar como base para explorar essas belezas é San Pedro de Atacama. O vilarejo possui dezenas de agências turísticas, que diariamente organizam passeios para visitar os arredores, sendo assim, os passeios e excursões turísticas são os principais atrativos a se fazer no Atacama e, muitas vezes, ocupam manhã, tarde e um pedaço da noite da programação dos turistas.

Podemos dizer que são quatro os passeios básicos no Atacama: Valle de La Luna + Valle de La Muerte, Laguna Cejar, Geysers del Tatio e Lagunas Altiplanicas. Esses quatro passeios são lindos, muito tradicionais, e fazem paradas em diferentes pontos. No Valle da Lua você verá formações de sal muito interessantes, uma duna enorme e poderá caminhar em um cânion. Já a Laguna Cejar é um passeio não apenas para contemplação, mas também para o banho-essa lagoa tem 40% de sal, e faz com que a gente entre na água, mas não afunde, é gelado, mas uma experiência inesquecível, não dá para perder.

O passeio às lagunas altiplânicas leva às lindas lagoas Miscanti e Miñiquez, além da Laguna Chaxa, que tem flamingos e o deserto de sal. Os Geysers del Tatio são fendas no solo que têm pequenas erupções; para conhecer os gêisers é preciso sair bem cedinho (ainda de madrugada) de San Pedro, porque apenas quando o ar ainda está gelado é que se pode ver o vapor que sai do solo.

Onde Comer:

Um vilarejo tão pequeno, afastado de uma grande cidade e em um ambiente complexo como o deserto teria bons motivos para não oferecer uma gastronomia de qualidade, mas o que acontece em San Pedro de Atacama é exatamente o contrário. SPA é praticamente um oásis gastronômico no meio do deserto, tem uma boa variedade de restaurantes, com bons chefs e pratos cheios de qualidade.

Em San Pedro você encontrará ótimos restaurantes, que são uma excelente pedida para ir, principalmente, durante a noite, no fim daquele dia em que você fez passeios e quer simplesmente fazer uma boa refeição e depois cair na cama. Os restaurantes da vila têm um ar descontraído, perfeitos para tomar um drink e experimentar um pouco da culinária chilena. Nos cardápios, você encontrará pratos variados da cozinha internacional, além de muito salmão, camarão, carnes variadas, legumes, batata etc. Como o Chile é um grande produtor de vinho, não é preciso desembolsar muito dinheiro para tomar um vinho de qualidade por lá.

Quando ir:

Visitar o deserto e San Pedro de Atacama é um programa para o ano todo. A estimativa é que San Pedro tenha cerca de 300 dias de sol por ano, o que garante que você possa admirar o tão falado céu azul quase sempre. Dizem os atacamenhos que os outros 65 dias do ano seriam dias com nuvens, mas não necessariamente completamente nublados.

No deserto, nota-se melhor as diferenças entre o verão e o inverno. No inverno, o pico dos morros e vulcões altos têm neve e, na cidade, as temperaturas variam entre 1º e 20ºC-podendo haver temperaturas negativas em noites frias. Já no verão, as médias oscilam entre 5º e 25ºC e podem passar os 40ºC em dias extremos.

Como é comum do deserto, prepare-se para encontrar frio e calor; prepare-se para temperaturas altas durante o dia, quando há presença do sol, e temperaturas amenas durante a noite e de manhã cedinho. San Pedro de Atacama está a 2.450 metros de altitude, mas diversos passeios feitos a partir do vilarejo visitam lugares muito mais altos, o que significa que a temperatura nesses locais poderá ser consideravelmente mais baixa. Independente da estação do ano em que você faça sua viagem, leve na mala roupas de inverno e de verão. Se você sair às 5 da manhã para um passeio a 4.000 metros de altitude, vá sempre com uma roupa abrigada, mesmo no verão as temperaturas em locais tão altos podem negativas em alguns momentos do dia.

Como Chegar:

O Deserto do Atacama ocupa uma grande área do norte do Chile e o principal ponto para ter como base para explorar suas belezas é San Pedro de Atacama. San Pedro, ou SPA, é um local bem pequeno e de estrutura limitada, que não possui aeroporto. O aeroporto mais próximo de San Pedro fica em Calama, uma cidade com estrutura melhor, a 100 km de distância. Por via terrestre são mais de 1.600 km até Santiago.
Avião
Para os brasileiros, o primeiro passo é pensar em como chegar de sua cidade até Santiago do Chile. Atualmente, há voos diretos entre Guarulhos e Santiago com a Tam, Lan, Gol e Sky; partindo do Aeroporto do Galeão, há voos com a Lan e Tam. O segundo passo é pensar no trajeto entre Santiago e Calama, que tem cerca de 2h de duração-as duas empresas que operam nesse trecho são a Lan e a Sky.

Do aeroporto de Calama até San Pedro de Atacama
A opção de melhor custo-benefício para ir do Aeroporto de Calama até San Pedro de Atacama, principalmente para as pessoas que viajam sozinhas ou em grupo pequeno, é contratar o serviço de um transfer. Não há ônibus que saem do aeroporto e vão até San Pedro, mas há ônibus que saem da cidade e vão até o vilarejo. Como você pode pegar o transfer no próprio aeroporto e ir até a porta de seu hotel em San Pedro, essa será uma opção mais confortável, principalmente para quem já passou várias horas viajando.

Ônibus
Viajar de ônibus no Chile é uma opção boa e barata, principalmente porque as estradas costumam estar em condições favoráveis a viagens terrestres. O que pesa contra a viagem de ônibus é o tempo; são apenas duas horas de avião entre Santiago e Calama, enquanto a mesma viagem de ônibus leva quase 24h. Há ônibus entre Santiago e Calama e há também ônibus que vão para San Pedro de Atacama, facilitando ainda mais esse deslocamento.
Para fazer viagens de ônibus, consulte empresas como a TurBus e Pullman.
Os ônibus costumam dar lanches ao longo do dia, mas as paradas podem ser muito curtas. É bom levar um lanche e bebidas por conta própria também.

De carro
Muita gente que gosta de pegar a estrada e fazer viagens de carro ou moto pela América do Sul inclui San Pedro de Atacama no roteiro. Para quem parte do sul, centro ou norte do Chile, a principal rota a tomar é a Ruta 5, com acesso a San Pedro pela Ruta 23-partindo de Santiago, são cerca de 1.630 km de viagem. Para quem sai de Salta, na Argentina, o acesso é feito pela RN51. Para quem parte de Potosí, na Bolívia, o acesso é feito pela RN5.

 

Fonte:

http://guia.melhoresdestinos.com.br/deserto-atacama-164-c.html

 


 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado