Bonito – Mato Grosso do Sul

O paraíso sul-mato-grossense tem nome e ele atende por “Bonito”, uma nomenclatura que condiz perfeitamente com o que se encontra na pequena cidade. Apenas 200 quilômetros separam a capital do estado desse refúgio ecológico, onde o dedo humano não passa de mero figurante. Um destino inesquecível onde os amantes da natureza encontrarão os mais variados cenários para encantar olhos, mente e corpo.

Aproveitar o contato íntimo com a natureza é o que Bonito reserva aos visitantes. Mergulhar com peixes de diversas espécies, fazer trilhas, observar animais em seu habitat natural, descer de rapel numa gruta, cavalgar, tomar banho de cachoeira e admirar paisagens incríveis são algumas – apenas algumas – das coisas para fazer na cidade. É impressionante a quantidade de atrativos em um espaço tão pequeno!

Conhecido como o melhor destino ecoturístico do Brasil, Bonito não será apenas mais uma das viagens na sua bagagem. Para muitos dos que conhecem o lugar, o momento se torna um marco. Pequena porém charmosa, a cidade oferece infraestrutura e organização de causar inveja a diversas metrópoles. O dia de quem viaja ao paraíso natural é repleto de passeios, todos pré-agendados através de agências, com preços tabelados.

Onde Ficar

Bonito é uma cidade pequena, cheia de pousadinhas. Mesmo não se tratando de um lugar grande, é importante escolher a localização de hospedagem para não ficar refém de veículos. Quem está sem carro, principalmente, deve optar por um hotel bem centralizado para ter acesso fácil ao comércio. Aqueles que viajam de carro e têm mobilidade terão mais liberdade para escolher acomodações distantes do burburinho.

Passeios

Abismo Anhumas

O Abismo Anhumas é uma das cavernas mais sensacionais do Vale do Anhumas. Da entrada até a base da caverna são 72 metros de descida vertical em rapel, uma técnica totalmente segura de descida em cordas. Todo o processo é feito com monitores e instrutores altamente treinados para garantir o máximo de segurança. Ao final do rapel, chegando à base da caverna, você encontrará um deck flutuante construído sobre um espelho de águas cristalinas. Este lago límpido atinge 80 metros de profundidade. Na noite anterior à descida é realizado um treinamento de rapel para que você se familiarize com o equipamento e segurança que envolve esta aventura.

Buraco das Araras

Venha sentir a paz e a tranqüilidade que este lugar pode lhe proporcionar. Em meio ao cerrado uma enorme cratera totalmente em arenito com sua beleza e exuberância, lugar onde diversos pássaros, principalmente as “Araras Vermelhas” adotaram como habitat natural.

O nome Buraco das Araras surgiu em razão do grande número de araras que habitam o local e fazem verdadeiros espetáculos. Em seu interior fauna e flora bem particulares, com seu ecossistema próprio e um grande lago habitado por jacarés da espécie papo amarelo. O passeio é uma boa opção, antes ou depois para quem faz o passeio Rio da Prata ou quando estiver chegando ou saindo de Bonito.

Cavalgada na Estância Mimosa

Na Estância Mimosa Ecotur, o visitante além de visitar as belas cachoeiras, poderá também fazer um agradável passeio a cavalo por entre as morrarias da fazenda.

Dicas

Leve condicionador e hidratante para o corpo poderosos. Os rios da cidade são ricos em magnésio, que deixa a pele e o cabelo mais ressecados que o habitual.

Evite beber a água dos rios, pois o magnésio pode ter efeito laxante.

Leve repelente e protetor solar na mala. O protetor não pode ser utilizado em alguns rios para não degradar o meio ambiente, mas em muitos passeios ele é imprescindível. Para quem vai ao Pantanal, repelente é obrigatório!

Evite alugar câmera subaquática apenas ao chegar ao passeio, pois sempre cobram mais caro. No centro da cidade há lojas que alugam câmeras por um bom preço.

Gastronomia

Não pense que, por ser uma cidade pequena, as opções gastronômicas de Bonito são poucas. Cheia de restaurantes, a vantagem do lugar é oferecer o melhor da cozinha pantaneira misturada aos ricos sabores dos frutos do cerrado. Há bons restaurantes, especialmente à noite, quando o comércio está à toda.

Comer um peixe fresquinho é a melhor pedida na cidade, mas para quem quer inovar, o jacaré passa a ser a melhor opção. A carne do réptil mais famoso da região se parece um pouco com peixe ou frango e é servida em diversos estabelecimentos. Pratos frescos e variados não faltam para os visitantes – os mais pedidos são traíra, pacu, piraputanga e pintado, espécies existentes nos rios locais. Seja para almoçar ou jantar, os restaurantes Casa do João e Pantanal são escolhas certeiras!

Quando ir

A “melhor época” para conhecer Bonito é um tanto relativa; afinal, depende do gosto de cada um. As duas principais características do clima local são as estações de seca e chuva, que refletem diferentes condições do tempo. Analise os pontos positivos e negativos de cada uma, faça um balanço e, então, decida-se sobre em qual época prefere viajar.

A estação chuvosa, entre dezembro e março, coincide com o verão, época de calor intenso e temperaturas na casa dos 35ºC. Nesse período as cachoeiras estão mais cheias; a mata, mais verdinha – mas há menos peixes nos rios por conta da piracema. É preciso saber que, com as chuvas, passeios podem ser desmarcados e a água dos rios fica turva.
Do meio de dezembro ao início de fevereiro o sol incide na Gruta do Lago Azul, tornando a visão do lago ainda mais exuberante.

A estação seca, entre os meses de maio e agosto (inverno), é a época em que os rios estão mais cristalinos e com mais peixes, porém é também um período em que podem ocorrer queimadas e a temperatura da cidade cai. É comum fazer calor durante o dia e friozinho durante a noite (mínimas de 15ºC), por isso tenha roupas frescas e também agasalhos.

 

Referência

http://guia.melhoresdestinos.com.br/bonito-100-c.html

http://www.turismo.bonito.ms.gov.br/

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado