Aracaju – Sergipe

Uma capital que transita entre o ar de cidade do interior e a diversidade de uma metrópole: em Aracaju, monumentos históricos contrastam com edifícios modernos, feiras locais, grandes shoppings apresentam uma grande variedade de produtos, calçadões e parques esportivos oferecem bons espaços para esportistas, restaurantes regionais e contemporâneos dividem clientes, mar e rios convivem de perto, dando um toque especial às paisagens da cidade.

Turistas que curtem tranquilidade acham programas ideais por aqui: caminhar pela Orla de Atalaia relaxa e oferece lindos visuais, o pôr do sol na Orla do Pôr do Sol renova as energias, as praias tranquilas e geralmente vazias permitem um descanso sem igual. Difícil se lembrar de trabalho e estresse por aqui.

Onde ficar:

A maior parte dos hotéis de Aracaju fica em Atalaia, por causa da estrutura oferecida por lá. Mas há outros bairros com bons hotéis, como Coroa do Meio, que fica entre o centro histórico e a Orla de Atalaia e oferece preços mais em conta. Outro bairro interessante é o 13 de Julho, muito agradável e mais sossegado.

Atalaia

Tudo acontece na Orla de Atalaia: praia, lagos, oceanário, pistas de skate, quadras poliesportivas e calçadão agitam o dia no local, que é muito turístico e, portanto, tem segurança reforçada. Durante a noite, bares e restaurantes movimentam o local, que é o mais agitado da cidade em termos de vida noturna. A Passarela do Caranguejo fica lá e garante a diversão dos turistas e sergipanos. A maior parte da hotelaria de Aracaju está na Orla de Atalaia e, se você procura um bom lugar para passear durante o dia e a noite, deve ficar por lá!

Coroa do Meio

O bairro fica entre Atalaia e o centro histórico e é muito procurado por turistas que querem boa localização, mas preferem hotéis mais em conta (apesar de também haver hotéis caros). O bairro oferece inúmeras pousadinhas charmosas. A vantagem, além do preço, é que Coroa do Meio fica bem perto da Orla de Atalaia e, por isso, é possível ir a restaurantes a pé.

13 de Julho

Bairro nobre e residencial, 13 de Julho não tem muitas opções de hotel (há mais apart hotéis), mas é um ótimo lugar para conhecer a Aracaju dos nativos. O agradável calçadão da 13 de Julho reúne sergipanos que descem para se exercitar, seja correndo, andando de patins, bicicleta ou skate. Há bons restaurantes no bairro, que fica próximo ao Museu da Gente Sergipana e ao centro histórico. Se você estiver procurando um local agradável e mais sossegado, sem a agitação do turismo, achou o lugar ideal!

Dicas:

– Faz bastante calor em Aracaju durante todo o ano. Por isso, leve roupas leves e bastante protetor solar. Mesmo em dias nublados, o mormaço queima e pode irritar a pele. Bonés, chapéus e repelentes também são muito bem-vindos. Em alguns passeios, principalmente na região de Xingó, há muitos pernilongos.

– Se quiser aproveitar as praias, prefira visitar Aracaju entre outubro e fevereiro, os meses menos chuvosos. Durante o inverno, a tendência é chover mais e, mesmo que as chuvas no Nordeste não sejam duradouras, elas podem dificultar alguns passeios.

– Algumas agências de turismo sergipanas, como a Crystal Tur, fazem pacotes de passeios. Por exemplo, se você fizer dois passeios, eles oferecem um outro passeio gratuitamente. Por esse motivo, é bom entrar em contato com as agências antes de viajar e se programar, já que ofertas de passeios perto de Aracaju não faltam.

– Um dos melhores programas da cidade é assistir ao pôr do sol na Orla do Pôr do Sol, no povoado Mosqueiro. O espetáculo reúne turistas, sergipanos e praticantes de esportes aquáticos todos os dias. Vale a pena reservar um entardecer para conferir o espetáculo!

– A insegurança atinge a maioria das capitais brasileiras, e Aracaju não está isenta do problema. Sendo assim, é bom tomar alguns cuidados, como não andar com muitos pertences de valor, joias e relógios, por exemplo; evitar andar sozinho à noite (é sempre melhor pegar um táxi); evitar ruas vazias, mesmo que seja dia; evitar sacar muito dinheiro de uma vez; tomar bastante cuidado em alguns bairros, como o Bairro Industrial e o centro histórico. Ambos têm muitos registros de assaltos e furtos. Outros pontos, como a Orla de Atalaia, por exemplo, são mais seguros por terem maior policiamento e movimento de turistas. No entanto, é sempre bom ficar ligado, mesmo em locais aparentemente tranquilos. Em Aracaju, há muitos assaltos com bicicletas e motos. Os assaltantes param a moto ou bicicleta, fingem que vão pedir informação, assaltam e fogem rapidamente.

– Evite fazer city tour às segundas-feiras, porque os museus fecham as portas nesse dia. Os melhores dias para visitar o centro histórico são terça, quarta, quinta e sexta-feira, quando as atrações ficam abertas durante quase todo o dia. Durante o fim de semana, os estabelecimentos fecham mais cedo e o centro fica bem vazio. Além disso, caminhar por lá durante o fim de semana dá uma sensação de insegurança, visto que não tem muita gente na rua.

– Uma boa opção para quem não quer depender de horários de agências de turismo é alugar um carro. As rodovias que cercam Aracaju estão em boas condições e muitos passeios podem ser feitos de carro, como Xingó, Parque dos Falcões e Pirambu, por exemplo. Em outros casos, dá para estacionar o carro nos portos e pegar os catamarãs diretamente, sem intermédio das agências de turismo.

– Para alugar carros a preços mais acessíveis, pergunte ao recepcionista do hotel quais são as locadoras regionais indicadas por eles. Em geral, os preços são melhores e a retirada e a devolução do carro são em locais flexíveis. Vale a pena tentar alternativas antes de alugar um carro com as locadoras nacionais e internacionais.

– A culinária sergipana é deliciosa e merece ser provada. Pelo menos um dia, deixe de lado os restaurantes contemporâneos e experimente pratos típicos da região, como a moqueca de aratu. Algumas opções recomendadas por sergipanos são os restaurantes Mangará, O Miguel e Caçarola.

Atrações próximas: 

Sergipe é pequeno e cheio de atrações, um convite ao turista para conhecer todo o estado. As rodovias estão em bom estado e facilitam a locomoção por essas atrações. Bem perto de Aracaju, duas cidades históricas costumam atrair bastante a atenção dos visitantes: Laranjeiras e São Cristóvão, ambas tombadas pelo Iphan.

Cânions do Rio Sao Francisco: Este é o principal passeio da região de Xingó. E é fácil entender o porquê. Os cânions do rio São Francisco, que estão em quinto lugar no ranking dos maiores cânions navegáveis do mundo, impressionam pela perfeição das rochas areníticas, que parecem ter sido talhadas à mão.

Ponte Do Imperador: O local foi construído para o desembarque do imperador Dom Pedro II e sua comitiva em Aracaju, quando o mesmo visitou a cidade em 11 de janeiro de 1860. Na época, a construção de alvenaria e madeira tinha seu piso e escadaria cobertos por tapete baeta azul. Serviu por muitos anos como embarque e desembarque de mercadorias, uma espécie de ”miniporto” da capital sergipana.

Lagoa dos Tambaquís-Abaís: A lagoa fica no município Estância, no caminho entre Aracaju e Praia do Saco. A princípio, parece uma fazenda sem nenhum atrativo. Mas o local proporciona uma experiência divertida: alimentar tambaquis que comem ração na mão dos turistas. Os peixes, que devem medir cerca de 50 centímetros, abrem a boca ao perceber que as pessoas têm ração.

Onde comer:

Camarões, caranguejos, peixes, carne de sol… A culinária sergipana é de dar água na boca! Frutos do mar frescos não faltam, e quem ganha é o visitante. Em restaurantes contemporâneos, é possível experimentar moquecas deliciosas, camarões com variados molhos, sushis e pratos mais tradicionais. Nos restaurantes mais regionais, os turistas podem ousar um pouquinho e experimentar pratos mais típicos, como buchada de bode, surubim na brasa, moqueca de aratu e carne de sol com pirão de leite.

Opções de pratos e de restaurantes não faltam. Apesar de pequena e com ar interiorano, Aracaju tem excelentes restaurantes, preparados para servir clientes exigentes.

Quando ir:

No litoral de Sergipe, o clima é tropical quente e úmido, enquanto no interior, o famoso sertão, o clima fica mais seco, tornando-se semiárido. Em geral, as temperaturas não variam muito durante o ano. No verão, a temperatura máxima atinge uma média de 30 graus e a mínima, de 24 graus. No inverno, as temperaturas variam entre 21 graus (mínima) e 27 graus (máxima). Por isso, coloque roupas leves na mala. Seja inverno ou verão, é certo que vai fazer calor em Sergipe!

O litoral é sempre mais chuvoso, enquanto o sertão costuma ter problemas com a seca. O período chuvoso em todo o estado começa em março e termina em agosto. Os meses em que mais chove são abril, maio, junho e julho, justamente no inverno. Portanto, a melhor época para visitar Sergipe é entre outubro e fevereiro, quando os dias ficam mais ensolarados.

Como chegar:

Aracaju conta com um aeroporto, duas rodoviárias e uma boa malha de rodovias, portanto é fácil chegar à cidade de avião, ônibus ou carro.

O Aeroporto de Aracaju, apesar de pequeno, recebe voos diários das principais cidades do país. Cerca de seis mil pessoas passam por lá diariamente, de acordo a Infraero. As companhias Tam, Gol, Avianca e Azul operam no aeroporto, que tem um terminal e fica a 12 km do centro de Aracaju.

 

Referencias:

http://guia.melhoresdestinos.com.br/aracaju-182-c.html

http://www.partiuviagens.com.br/destinos/brasil/aracaju.aspx

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado