10 Destinos de dar medo!

1. Ilha de Páscoa, Chile

Uma das coisas mais irritantes sobre as cabeças gigantes que rodeiam a Ilha de Páscoa é que elas não estão olhando para você ao chegar e, sim, para dentro do mar, como se culpando por algum crime. Talvez tenha algo a ver com o virtual desaparecimento das pessoas que as fizeram. Em apenas 63 quilômetros quadrados, a minúscula Ilha de Páscoa é o lar de um dos maiores mistérios da Terra. O povo de Rapa Nui, quase extinto um século atrás, não possui nenhum registro de como eles movimentaram a estátua gigante por quilômetros, a partir da pedra vulcânica onde fora esculpida. Atualmente, a ilha é acessível através de voos partindo do Chile. Os roteiros oferecem uma variedade de passeios, assim como acomodações de luxo.

Crédito: AFP

2. Castelo de Bran, Romênia

Uma subida vertiginosa morro acima leva a um castelo de contos de fadas que parece não ter superfícies horizontais: escadas intermináveis e torres são tudo o que é visível. No interior, passagens subterrâneas em contato com dezenas de salas de antiguidades rococó e armaduras. A única coisa que deixa o cenário mais assustador no Castelo de Drácula, como é conhecido, é uma noite de tempestades e relâmpagos. Um ar misterioso, com lendas e folclores corre por Bran. O nome vem do tirano sádico Vlad, o Empalador, conhecido como Vlad Drácula, que é acusado de ter usado o castelo como base de operações ocasionais. Vlad ganhou o apelido por dezenas de milhares de levantamento de inimigos em estacas; uma gravura mostra o conde em uma festa, sozinho e com uma mesa rodeada por uma verdadeira floresta de suas vítimas penduradas. O castelo é bastante amigável ao turismo, mas fique sabendo que os roteiros se encerram às 16h, para que após o por do sol todos os visitantes estejam longe e em segurança.

Crédito: AFP

3. Catacumbas de Paris, França

Ossos e crânios são empilhados de cada lado de um corredor estreito como mercadoria em um armazém. O ar é fresco, com apenas uma sugestão de decomposição, e não há pichações rudes que datem da Revolução Francesa, principalmente sobre o rei e a nobreza. São vários quilômetros de passagens subterrâneas em torno da cidade, mas apenas uma pequena parte está aberta ao público e diz-se que o resto é patrulhado por uma polícia secreta especial. Apesar de as visitas guiadas estarem disponíveis, é mais assustador e eficaz ir sozinho, e sentir a experiência de encontrar milhões de ossos iluminado pela lâmpada de baixa potência. As catacumbas foram originalmente uma pedreira da era romana, mas quando o Cemitério dos Inocentes, no centro de Paris, começou a transbordar ao ponto de ser um perigo para a saúde pública em 1785, os túneis encontraram seu estado atual. Os ossos foram descartados durante a noite, em cerimônias elaboradas, até o ano de 1814.

Crédito: AFP

4. Abadia de Thelema, Sicília, Itália

Aleister Crowley foi o ocultista mais famoso do mundo. Esta casa de pedra com corredores cheios de afrescos era a capital mundial das orgias satânicas de Crowley. Ele fundou a Abadia de Thelema em 1920, na cidade da praia de Cefalu, na Sicília. Tornou-se uma comunidade de amor livre, com um lado negro, onde os recém-chegados foram forçados a passar a noite na “Câmara dos Pesadelos”, no qual, no alto de haxixe e ópio, eles olhavam para os afrescos da Terra, céu e inferno. A Abadia é agora uma semi-ruína, invadida por vegetação. Porém, os afrescos originais e infernais de Crowley ainda estão lá. O local atrai visitantes atraídos por esoterismo e ciências ocultas, que vão até abadia para sentir algum tipo de vibração.

Crédito: Getty Images

5. Castelo de Edimburgo, Edimburgo, Escócia

Com cerca de 900 anos de história, seria quase uma surpresa se o Castelo de Edimburgo não fosse um dos locais mais assombrados da Escócia. Desde a sua construção como uma fortaleza militar do século 12, o castelo foi testemunha de ataques de surpresa e execuções. Reencarnado como uma atração turística, o Castelo de Edimburgo oferece agora passeios por suas masmorras, que já acolheu nomes como Alexander Stewart Duque de Albany (que escapou, apunhalando seus guardas até a morte, e depois queimou seus corpos), Lady Janet Douglas de Glamis (acusada de bruxaria e queimada na fogueira) e um flautista anônimo que vagou por uma das passagens subterrâneas do castelo e nunca mais voltou. Em 2001, o Castelo de Edimburgo tornou-se o lugar de uma das maiores investigações paranormais na história. Uma equipe de nove pesquisadores e mais de 200 membros do público exploraram câmaras do castelo e passagens secretas em busca de sinais de acontecimentos fantasmagóricos. Mais da metade dos participantes relataram experiências paranormais. Figuras sombrias, quedas bruscas de temperatura e a sensação de algo puxando suas roupas estão entre as experiências cotidianas.

Crédito: Getty Images

6. Mary King’s Close, Edimburgo, Escócia

Trata-se de uma série de ruas subterrâneas escondidas debaixo da Cidade Velha de Edimburgo. Mary King’s Close é o local onde as vítimas da peste foram colocadas em quarentena, e onde milhares de pessoas terminaram morrendo no século 17. A atividade paranormal abunda por lá. Você pode, por exemplo, sentir algum gentil puxando suas mãos e pernas por uma força invisível. Acredita-se que o causador das atividades seja o fantasma de Annie, uma jovem abandonada por seus pais em 1645. Guias de turismo irão acompanhá-lo até uma escadaria de pedra e corredores. Além do quarto de Annie, dá para ter a sensação de como foi viver no local, o drama da peste e das mortes.

Crédito: AFP

7. Chernobyl, Pripyat, Ucrânia

Passeie pela cidade abandonada de Pripyat, na Ucrânia, e você encontrará uma cena de crime em grande escala e a lembrança de um local completamente abandonado. Um viveiro cheio de calçados infantis e complexos de apartamentos com o jornal da manhã, datado de 28 de abril de 1986, aberto em mesa do café. Dois dias antes, a central nuclear de Chernobyl, há poucos minutos, derreteu-se, mas demorou 48 horas para as autoridades alertarem os moradores e enviá-los para fora do local de maior desastre nuclear do mundo. Agora que os níveis de radiação são seguros para a exposição de curta duração, o complexo nuclear de Chernobyl transformou-se numa atração turística improvável. O complexo de poder está no centro dos 20 quilômetros de raio da ‘Zona de Exclusão’, uma área de florestas povoada por lobos e ursos. O Reator 4 é a estrela deste show triste, hoje envolto em um sarcófago de concreto e chumbo com 200 metros de altura. Uma organização chamada “Bem-vindo à Ucrânia” oferece passeios de um dia de Kiev, através de ônibus. Você vai visitar a floresta e pode até inspecionar o exterior da fábrica, incluindo a montagem de um posto de observação para ver o reator.

Crédito: AFP

8. Torre de Londres, Inglaterra

Erguida por William o Conquistador, no século 11, esta antiga prisão política e local de execução tem sido vista como um dos edifícios mais assombrado das Ilhas Britânicas. Entre os fantasmas “avistados” através da fortaleza estão os espíritos de Anne Boleyn, mulher de Henrique VIII, que foi decapitado em 1536, Lady Jane Grey, que foi avistada por uma guarda em 12 de fevereiro de 1957, no aniversário de 403 anos de sua morte. O primeiro fantasma visto no edifício foi o de Thomas Beckett, no século 13.

Crédito: Getty Images

9. Navio Queen Mary

O Queen Mary é um antigo navio da Segunda Guerra, que foi adquirido pela cidade de Long Beach em 1967 e transformado em um hotel, e se tornou uma atração turística popular. Entre os fantasmas, supostamente ainda estão um marinheiro que morreu na sala de máquinas do navio, a “dama de branco”, e as crianças que se afogaram na piscina da embarcação. No total, foram catalogados 55 espíritos no Queen Mary. O navio é listado no Registro Nacional de Lugares Históricos dos Estados Unidos e está permanentemente ancorado em Long Beach, Califórnia. Também funciona como museu.

Crédito: Getty Images

10. Penitenciária Estadual da Filadélfia, Estados Unidos

Criada em 1829, com imponentes paredes de castelo e torres de vigia, a Penitenciária Estadual Oriental (Eastern State), na Filadélfia, foi a primeira prisão a ter uma solitária. Presos ficavam sozinhos, comiam sozinhos e até os exercícios eram feitos individualmente. Eastern State foi acusada de ter causado doença mental entre os seus prisioneiros. Ela funcionou como uma prisão de 1913 até ao seu fechamento em 1970, e abrigou criminosos famosos, como Al Capone. Desde quando foi desativada, a penitenciária passou a receber visitação pública e se transformou em um museu. Desde então, tem se ouvido histórias sobre sons vindos das celas, barulhos estranhos e solitários lamentos de frio nos escuros corredores. A cela número 12 é famosa por uma risada assombrosa e a torre de guardas acumula relatos de aparições de uma figura sombria que vigia a prisão durante as noites.

Crédito: Divulgação

Fonte: www.terra.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado