Vancouver – Canadá

Cercada pelo mar por um lado e pelo outro por montanhas cheias de florestas que ganham o branco da neve durante o inverno, Vancouver atrai aos seus visitantes pelas fotos, pela fama e pela qualidade de vida. Antes que o avião pouse no Aeroporto Internacional, o segundo maior do país, muitos já se veem conquistados pelo lugar. Ela pode não ser a cidade mais histórica do Canadá nem o maior centro financeiro, mas é sua mescla de centro urbano e natureza que a torna tão especial.

Localizada na província da Colúmbia Britânica, ela está em terceiro lugar na lista das maiores regiões metropolitanas do Canadá e possui mais de 2.4 milhões de habitantes. Sofisticada, Vancouver oferece as facilidades de um grande centro urbano e cultural com algumas pitadas de cidade pequena. Há de tudo um pouco: burburinho do comércio, boas lojas, ótimos restaurantes onde se come um salmão fresquinho, parques maravilhosos, praias, bairros tranquilos, bom transporte público, montanhas e um povo acolhedor, uma marca do Canadá!

Onde Ficar:

Vancouver tem opções de hospedagem para todos os gostos e orçamentos, há tanto os hotéis luxuosos de redes internacionais quanto albergues indicados aos que querem economizar.
Quanto a localização, a melhor ideia é ficar na área central da cidade de Vancouver, que está próxima dos principais pontos turísticos, bons restaurantes, centros comerciais, etc.

Para ficar bem localizado, tome como referência a estação Vancouver City Centre, a área do Canada Place e vias como a Granville St e Robson St, que possuem muito comércio.
Perto da Granville estão hotéis como o Metropolitan Hotel Vancouver,  Residence Inn By Marriott, o Confort Inn Dowtown, que tem um ótimo custo-benefício, o Best Western Plus Château e o hostel Samesun Backpackers, indicado para quem gosta de ficar em albergues. Para quem quer ficar perto do Canada Place, há opções como o Marriott Pinnacle e o Auberge Vancouver Hotel.

Distritos vizinhos de Downtown também oferecem uma localização bastante central, com áreas que têm comércio e bons restaurantes. Gastown é um bairro boêmio, onde há bastante movimento durante o dia e alguns bares movimentados à noite. Foi em Gastown que Vancouver nasceu e o charme de suas ruas de paralelepípedo é ímpar. Nessa área de Gastown fica o Delta Vancouver Suites.

Dicas:

– Para ir ao Canadá, é necessário um passaporte e visto válido condizente com o propósito da viagem. O visto para turistas pode ser obtido online e é um pouquinho burocrático, mas completamente possível de ser feito por você mesmo. Para mais informações, consulte a página oficial sobre o visto do Canadá e nossa página, que explica como obtê-lo. Conforme noticiado no Melhores Destinos, a partir de março de 2016, a entrada ao Canadá será facilitada e quem já obteve o visto canadense ou tem visto estadunidense poderá requerer um visto eletrônico.

Lembre-se de que se você viaja ao Canadá passando por um terceiro país, além das regras de imigração local, você deve se atentar às regras de imigração no local de conexão. Fazendo conexão nos Estados Unidos, você precisará também do visto estadunidense.

– Não são necessárias vacinas para visitar o Canadá.

– Para dirigir na Columbia Britânica, você deve ter a CNH brasileira e a PID (permissão internacional para dirigir). A PID não é requerida em algumas províncias no país, mas recomendamos que quando viajar ao Canadá você a tenha em mãos para evitar possíveis contratempos. Para mais informações, consulte o site da ICBC.

– O fuso horário padrão de Vancouver é o UTC -8.

– Segurança: Vancouver é uma cidade segura, onde você pode andar com seus pertences com tranquilidade, mesmo durante a noite. Não tenha receio de andar com um relógio ou câmera no transporte público. Ainda que seja um lugar seguro e com um dos melhores índices de qualidade de vida do mundo, é indicado não deixar seus pertences sem cuidado ou andar com grandes quantias de dinheiro.

O centro da cidade tem bastantes pedintes e pessoas que vivem na rua, então vale ter um pouquinho mais de atenção ao andar em lugares como a Granville St. De toda forma, não há motivo para pânico, porque essas pessoas costumam ser inofensivas.

– A rede elétrica no Canadá é de 120V/60Hz. As tomadas são de dois tipos: dois pinos chatos ou, às vezes, de dois pinos chatos e um pino redondo (que funcionam tranquilamente em aparelhos em que o encaixe é de apenas dois pinos chatos). Lembre-se de notar como são as tomadas de seus aparelhos eletrônicos e comprar um adaptador para não ter dificuldade de carregá-los no Canadá.

– As línguas oficiais no Canadá são inglês e francês. Vancouver é uma cidade da província da Colúmbia Britânica (British Columbia), onde se fala inglês. Há quem fale francês nessa parte do país, mas a língua não é forte como em Quebec.

– Quantos dias ficar em Vancouver: Sugerimos ficar em torno de 5 dias em Vancouver para conhecer os principais pontos da região.

O que levar: Faz calor no verão e frio no inverno, então vale ficar de olho na previsão do tempo antes de viajar e dessa forma preparar sua mala. Capriche nos agasalhos e nas roupas de inverno ao viajar entre dezembro e fevereiro, principalmente se tiver intenção de esquiar ou visitar montanhas. Como andar e utilizar o transporte público é muito comum, leve sapatos confortáveis e que lhe permitam caminhar com tranquilidade, sem incomodar os pés.

Para quem irá praticar atividades físicas, levar roupas confortáveis é aconselhável. Calçados como tênis ou que ofereçam conforto em longas caminhadas também são imprescindíveis.

Chove com frequência em Vancouver, por isso a cidade até recebeu o apelido de “Raincouver”. Sabendo disso, um guarda-chuva e um casaco impermeável poderão trazer muito mais conforto ao realizar seus passeios.

– Lembre-se que ao entrar em um ônibus ou bonde, quando você compra uma única passagem, deverá pagar apenas em moedas. Nesses veículos não é dado troco, então, antes de entrar, troque suas notas por moedas, de forma que você tenha como pagar o exato valor da tarifa do transporte. Outra dica importante em relação ao transporte público é saber o endereço de onde você irá, porque o valor do transporte depende da distância e apenas sabendo qual é seu destino final é que se pode calcular o valor que será gasto no trajeto.

Vancouver ou Toronto?

Muitas pessoas fazem comparações entre Toronto e Vancouver. Entretanto, as duas cidades têm características bastante diferentes: enquanto Toronto é um lugar muito procurado por trabalho, Vancouver é procurada pela qualidade de vida. Podemos dizer que Toronto se parece com São Paulo, enquanto Vancouver se parece com o Rio de Janeiro. O transporte público das duas cidades é bom, há excelentes restaurantes em ambas, assim como a variedade de passeios; mas Vancouver tem mais atividades para estar ao ar livre e curtir a natureza. Faz menos frio em Vancouver e neva mais em Toronto. Toronto é mais cosmopolita, com prédios altos, uma cidade subterrânea e muitas lojas. Vancouver é mais natureza, com suas praias, parques e montanhas. O número de habitantes também é bastante diferente, enquanto Toronto, a maior cidade do Canadá, tem mais de 6 milhões de habitantes em sua região metropolitana, Vancouver tem “apenas” 2.4 milhões.

Pontos Turísticos:

Vancouver tem muitos pontos turísticos interessantes e o mais bacana é que ela sabe ser uma cidade cosmopolita sem deixar de lado o cuidado com o meio ambiente e as atrações naturais. Como são muitas atrações e algumas vezes elas ficam em pontos distantes da cidade, recomendamos dividir seus passeios de acordo com a localização, porque assim você economiza tempo.

Canada Place: Canada Place é um ponto icônico de Vancouver. O edifício foi construído para abrigar a World Fair de 1986 e ao longo dos anos se tornou um marco da cidade. Ele fica em frente ao mar, junto ao porto, e abriga um hotel, o Centro de Convenções de Vancouver e a atração FlyOver Canada.

Capilano Suspension Bridge: A Capilano Suspension Bridge (ponte suspensa Capilano) é uma ponte construída a 70 m de altura e tem 137 m de extensão. Ela é uma das maiores pontes suspensas do mundo e faz a ligação entre os dois lados do Rio Capilano.

Deep Cove: Deep Cove é um bairro de North Vancouver, a cerca de 18 km do centro da cidade. O lugar é tão pacato que parece até uma cidadezinha de interior, tem um visual lindo para as montanhas e uma enseada ótima para andar de caiaque ou fazer SUP.

Onde Comer:

Vancouver é uma cidade miscigenada e, assim como o Canadá como um todo, tem uma grande percentagem de imigrantes. Na prática, isso significa que na cidade você encontra restaurantes com cardápios muito variados, que oferecem pratos contemporâneos, italianos, chineses, japoneses, franceses e canadenses, como o poutine — uma invenção da província de Quebec que se tornou o prato típico do país.

Frutos do mar e peixes, principalmente o salmão, são encontrados em abundância nos restaurantes de Vancouver por conta da proximidade com o Pacífico. Os peixes servidos nos restaurantes são muito frescos e os sashimis são de alta qualidade, não deixe de ir a um restaurante japonês para prová-los.

Granville é um grande ponto turístico de Vancouver e na ilha há, entre outras, duas boas indicações de lugares para comer. A primeira delas é o Granville Island Public Market, um mercado público que reúne vendedores de frutas fresquinhas e várias barraquinhas que vendem comidas rápidas. Outra sugestão é o Go Fish, um restaurante pequenininho que serve tradicionais fish & chips — as pessoas fazem seu pedido e sentam-se na beira da baía para degustá-lo, é uma delícia pela comida e pelo visual!


Quando ir:

Vancouver é uma cidade para estar ao ar livre; dentro do contexto do Canadá, não é considerado um destino tão frio como outras cidades do país. Com temperatura média anual de 10,5°C, Vancouver tem estações bem definidas: o inverno (dezembro a março) é mais úmido e com mais chuvas, enquanto o verão (junho a setembro) é mais seco e quente.

O mês mais frio do ano é janeiro, com média de 4°C, e o mês mais quente é julho, com média de 18°C. Ao contrário do que muitos pensam, não neva muito na cidade e no inverno é mais comum chover do que nevar. Aliás, a fama de Vancouver é de chover com frequência, então vale a pena se preparar para chuvas, levar roupas adequadas na mala para não perder os passeios mesmo quando estiver chovendo. Viajar no inverno é indicado para quem quer praticar esportes de neve, já que nas montanhas próximas da cidade há estações, como Whistler, que são ótimas para esquiar ou praticar snowboard.

Como Chegar:

Vancouver tem o segundo maior aeroporto do Canadá e como está localizada na costa leste do país, é um importante meio de chegada de turistas que viajam através do Pacífico, em países da Ásia ou Oceania. O aeroporto local fica a cerca de 13 km do centro, é moderno e ligado ao transporte público da cidade.

 

Avião: Não há voos diretos entre o Brasil e Vancouver, sendo preciso fazer ao menos uma conexão para se chegar à cidade. Os aeroportos das cidades de São Paulo (Guarulhos) e Rio de Janeiro (Galeão) oferecem a possibilidade de utilizar companhias como a canadense Air Canada (conexão em Toronto), Delta, United, American Airlines e Aeroméxico — cada uma fazendo conexões em seus respectivos hubs.

Sair do Aeroporto: Para sair do aeroporto você pode utilizar táxis, limousines ou o transporte público. Alguns hotéis oferecem shuttles gratuitos ou pagos até o aeroporto, consulte seu hotel para mais informações.

Uma corrida de táxi entre o aeroporto e o centro da cidade custa ao menos $35 e é uma boa opção para quem está em família ou com malas.

Carro: O principal acesso a Vancouver é feito através da British Columbia Highway 1. São cerca de 972 km entre Vancouver e Calgary e 1.160 km entre Vancouver e Edmonton. Seattle, nos Estados Unidos, está a apenas 215 km por terra de Vancouver e, pela curta distância, pode valer a pena criar um roteiro de viagem que inclua as duas cidades.

Ônibus: Ainda que muitas vezes sejam longas, as viagens de ônibus são uma das maneiras de conhecer o Canadá, principalmente para quem não tem um orçamento folgado. Dentro do Canadá, há a opção de utilizar empresas como a Greyhound e Pacific Coach Lines (para Victoria e Whistler).

Trem: Através da Pacific Central Station, estação de trens e ônibus de Vancouver, chegam trens de diferentes partes do país. A Via Rail, empresa de trens canadenses, recebe trens de cidades como Jasper, nas Montanhas Rochosas. Através de outras conexões, dá até para atravessar o Canadá por via férrea, saindo inclusive de Montreal, na porção leste do país. Para quem está nos Estados Unidos e quer dar um pulinho no Canadá, vale ficar de olho nos trajetos da Amtrak.

Ferry
Muita gente não sabe, mas a capital da Columbia Britânica é Victoria, uma cidade muito simpática e ligada a Vancouver através de ferries. Por se tratar de ilhas, o trajeto por terra não é dos mais simples; assim, pegar uma embarcação da BC Ferries pode ser uma alternativa para fazer uma viagem entre as duas cidades.

Referencias:

 http://guia.melhoresdestinos.com.br/vancouver-canada-195-c.html

http://www.partiuviagens.com.br/destinos/canada/vancouver.aspx

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado