TOKYO

A metrópole de Tóquio é totalmente dinâmica, sendo que de um dia para o outro tudo já pode estar diferente. Misturando o moderno e o tradicional, a cidade tem serviços eficientes e com tecnologia moderna, ao mesmo tempo em que ainda reúne casas simples de madeira em algumas ruelas.

As tendências dividem as mais diversas tribos pelas ruas movimentadas, edifícios e letreiros luminosos nos prédios espetaculares confundem seus sentidos, enquanto a gastronomia se destaca pelos sushis impecáveis.

Na parte histórica da cidade, cenas curiosas como lutadores de sumô andando em suas bikes são comuns. Esta é, certamente, uma viagem inesquecível!

Quando ir para Tóquio

O verão japonês é bem quente e úmido, sendo ainda a época dos grandes feriados, que deixam as ruas ainda mais lotadas. O período mais ameno é entre os meses de março e maio, setembro e novembro, ideal para caminhadas sem aquele cansaço provocado pelo calor. A primavera, entre março e abril, costuma ser fria, diferente do Brasil, enquanto o inverno é frio, mas com bastante sol.

A média anual de temperatura em Tokyo é de 15°C, no inverno, essa média diminui para 9°C e, no verão, aumenta para 27°C! Pode fazer temperatura negativa e próxima de zero na cidade durante o inverno, como também pode passar dos 30°C no verão. Não neva com muita frequência em Tokyo, portanto, se quer ver neve, o ideal é ir para cidades nas montanhas. Os verões são mais úmidos e com mais chuva do que os invernos, que são mais secos.

Como chegar a Tokyo

Mais de 17 mil quilômetros separam a capital do Japão e a capital do Brasil, portanto, pensar na maneira de chegar a Tokyo é importante para realizar uma viagem confortável.

Não há voos diretos para o Japão partindo do Brasil, então será necessário fazer conexão em pelo menos um aeroporto no exterior. O local de conexão depende da companhia que irá realizar a viagem, assim como o trajeto, que pode ser via Europa, África ou América do Norte.

Saindo de São Paulo (Guarulhos), você pode voar com a Lufhtansa (conexão em Frankfurt), Air France (via Paris), KLM (via Amsterdam), Etihad (via Abu Dhabi), Qatar (via Doha), Emirates (via Dubai), American Airlines (via Dallas), entre outras. O tempo de deslocamento varia de acordo com o trajeto de cada companhia.

Dica: Caso você tenha como destino final uma outra cidade que não Tokyo, pode valer a pena pegar um voo doméstico ou utilizar o transporte ferroviário do país, que é excelente. Caso opte pelo transporte em trens, considere a viabilidade de comprar o JR Pass, um passe de trens da empresa JR.

O que fazer em Tokyo

Tokyo é uma cidade grande, espalhada e provavelmente muito diferente de tudo que você já viu na vida. Praticamente todos aqueles clichês das fotos são verdade: sempre muita gente nas ruas, pessoas com roupas diferentes, filas, placas piscando pra todos os lados, edifícios altos, cruzamentos movimentados, transporte mega eficiente e uma cumplicidade entre o desenvolvimento da cidade moderna e o respeito às tradições. Não falta o que fazer em Tokyo, por isso dedique um bom tempo à cidade! E que quiser fazer algo diferente e menos “urbano” reserve alguns dias para fazer um bate-volta a Nikko ou a Hakone.

Akihabara (秋葉原)

Akihabara, ou apenas Akiba, é o bairro dos eletrônicos de Tokyo. O local reúne diversas lojas de eletrônicos, algumas delas com vários andares, e é o local ideal para quem procura pelos últimos lançamentos do mundo tecnológico. O distrito também se tornou um polo para os amantes de jogos, animes e mangás, pois tem muitas lojas que vendem artigos ligados aos animes (desenhos japoneses) e seus personagens. É um local tão popular na capital japonesa que aos domingos a rua principal do bairro fica fechada apenas para pedestres poderem fazer suas compras com mais tranquilidade.

Asakusa (浅草)

Asakusa é um bairro histórico de Tokyo com atrações como o templo budista Senso-ji e a rua Nakamise. O bairro é simpático, tem várias ruas com boas lojas que vendem souvenir e construções mais antigas. A partir dali, você tem uma vista bonita para o Rio Sumida e pode até fazer um passeio de barco ao longo do rio, que possui muitas pontes. Durante a primavera, a orla ao longo do Rio Sumida fica muito bonita, cheia de cerejeiras floridas e pessoas fazendo piquenique sob as árvores. A orla do rio também oferece vista para a Tokyo Skytree e outros edifícios da região de Sumida.

Ginza (銀座)

Ginza (fala-se “Guinza”) é um distrito de Tokyo que tem bons restaurantes, ótimas lojas de departamento, vida noturna animada e é um excelente local para fazer compras. A região reúne muitas lojas populares, mas principalmente lojas caras e de algumas das marcas mais exclusivas do mundo!

Onde ficar em Tokyo

Escolher onde se hospedar é uma das maiores dúvidas de quem viaja para Tokyo. Como a cidade é grande, a escolha do bairro faz um pouco de diferença no aproveitamento da viagem. Independente da região que você opte por se hospedar, procure sempre ficar em um hotel que esteja próximo a uma estação de metrô/trem, porque dessa forma você pode se deslocar mais facilmente por toda a capital.

Dicas de Tokyo

Para visitar o Japão, é necessário ter um passaporte com visto válido para a finalidade da viagem. O visto deve ser requerido junto a um consulado japonês e exige alguns documentos como cópia do imposto de renda e um roteiro da viagem. O visto pode ser para uma única entrada no Japão ou múltiplas entradas.

Os voos para o Japão são longos, não há voos diretos partindo do Brasil por causa da grande distância. Será necessário fazer ao menos uma conexão, portanto, certifique-se de saber quais são as exigências do país onde você fará conexão. Caso faça conexão nos Estados Unidos, será necessário o visto desse país também.

O Japão está 12 horas (UTC+9) a frente do horário do Brasil e nos primeiros dias essa diferença de horário pode provocar alguns efeitos no corpo, o chamado jet lag. As dificuldades com relação ao sono são as mais frequentes.

Brasileiros em visita não podem dirigir no Japão, mesmo com carteira internacional de habilitação. O país utiliza a mão inglesa.

A moeda do Japão é o iene (JPY), representado pelo símbolo ¥. Dólares não são aceitos como pagamentos, tenha ienes em mãos para realizar suas compras. Em Tokyo, você pode fazer o câmbio de moedas em grandes estações de trem ou grandes agências dos Correios locais.

A rede elétrica no Japão é de 100V e as tomadas são de dois pinos chatos verticais. Leve um (ou mais) adaptadores de energia para recarregar seus dispositivos eletrônicos.

O comércio em geral funciona entre 10h e 20h.

O Japão é completamente diferente do Brasil, em inúmeros aspectos. Não é um país perfeito, mas no geral as coisas funcionam bem melhor do que no Brasil. Lembre-se de que, estando em um país com uma cultura tão diversa, você deve entender as regras de convivío local e até ter um conhecimento básicos sobre as leis para evitar contratempos. Os japoneses são muito educados, então evite desrespeitar outras pessoas ou fazer algo que incomode aos demais. Respeite o espaço alheio, não fale alto no transporte público, sempre limpe o espaço que sujar e carregue seu lixo consigo.

Como a cidade é grande e existem muitas linhas de trem, um smartphone em mãos e aplicativos voltados para viagem podem ajudar bastante no deslocamento pela cidade. Quando na cidade, sugerimos utilizar o Google Maps e o site Hyperdia.com para saber como ir de um local a outro.

Regras de educação: O japonês é considerado um povo muito educado, que respeita diversas regras de convivência e se você visita o país é importante se inteirar sobre elas também.
– Ao utilizar as escadas rolantes, fique sempre do lado esquerdo da escada, de modo a deixar o lado direito livre para que quem tenha pressa possa passar mais rapidamente.
– Não jogue lixo no chão. Embora não se veja tantas lixeiras pelas ruas, guarde seu lixo até que encontre uma pelo caminho.
– Comer pelas ruas ou andando é considerado falta de educação, a não ser quando você compra uma comida rápida de rua e come ali por perto.
– Falar ao telefone nos trens é proibido.
– Nos trens e ônibus, fique atento aos assentos destinados a pessoas com prioridade, como idosos, gestantes ou deficientes. Mesmo nos assentos comuns, é de bom tom oferecer a pessoas que tenham mais necessidade do que você.
– Filas são muito frequentes e são respeitadas, inclusive nos trens e ônibus. Antes de entrar no coletivo, note que haverá uma fila que se forma até o meio de transporte chegar e então as pessoas embarcam pela ordem da fila.
– Se estiver gripado ou resfriado, convém comprar uma máscara para o rosto, assim como fazem os japoneses para evitar transmitir sua doença a outras pessoas.
– Se encontrar algo na rua que não pertence a você, procure pelo dono ou deixe-o no mesmo local. É comum ver objetos perdidos e intocados no lugar onde foram deixados.

 

Fonte:

http://guia.melhoresdestinos.com.br/dicas-de-tokyo-199-2463-p.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado