St Maarten e St Martin

Um pouco de Europa, muito de Caribe. Com tal slogan, a ilha dividida entre Sint Maarten ao sul (de domínio holandês) e Saint Martin ao norte (de possessão francesa), tenta explicar a mistura de grafias, pronúncias e culturas com praias de um azul indescritível, paradisíacas no mais fiel sentido da palavra. Na parte de cima, território francês; na parte de baixo, território holandês: só por esse detalhe St. Maarten e St. Martin já são capazes de despertar interesse, mas a ilha oferece muito mais. Exemplo de lugar multicultural e com cenários de tirar o fôlego, a ilha caribenha vai além do básico “sombra e água fresca”, oferecendo atrativos variados a públicos diversificados. Não à toa, este pequeno ponto de terra, de apenas 96 km², apresenta a maior concentração de nacionalidades por quilômetro quadrado do mundo e já foi disputado a tapa por muita gente desde sua descoberta por Colombo, em 1493.

A expectativa sobre o destino começa ainda no ar, antes de o avião tocar o solo. Isso porque o pouso no Aeroporto Internacional Princess Juliana é considerado um dos mais eletrizantes do mundo – ele fica na frente de Maho Beach e, assim, os aviões são obrigados a passar a poucos metros das cabeças dos turistas. Não gosta desse tipo de emoção e prefere só relaxar? Fique tranquilo, pois alguma das mais de 30 praias da ilha certamente irá lhe conquistar. A parte holandesa chama-se Sint Maarten e tem como capital Philipsburg, uma área cheia de lojinhas. O lado holandês é visto como o mais animado da ilha, devido às boates e aos cassinos, além de ser ideal para compras. Já do lado francês, chamado de Saint Martin, com capital em Marigot, é excelente para encontrar praias menos movimentadas e comer bem. Aliás, a comida variada, cheia de quitutes franceses, é uma das grandes vantagens de visitar a ilha.

Recortada por morros que proporcionam vistas incríveis dia e noite, St. Maarten e St. Martin têm um trânsito digno de grande centro urbano. A ilha é interessante por proporcionar agito ou tranquilidade, a depender do gosto do viajante, e ainda misturar moedas e línguas sem que haja qualquer restrição militar para ir de um lado ao outro de seu perímetro. Tudo isso sem falar nas praias, que dispensam comentários, tamanha a beleza que se vê – águas cristalinas a perder de vista e areia clarinha, sempre acompanhadas de um calor arrebatador que só pode resultar em um bom mergulho no mar. Dos tempos dos corsários restou a vocação ao livre comércio, que garante ao destino a fama de paraíso das compras. Afinal, a ilha toda é duty-free. E se você esqueceu o cartão de crédito em casa, não se preocupe: o lado  holandês da ilha tem uma dezena de cassinos para tentar a sorte.

Como Chegar

O principal aeroporto de St. Maarten e St. Martin é o Princess Juliana, localizado no lado sul e holandês da ilha. Esse terminal, apesar da estrutura moderna, é tido como um dos mais perigosos do mundo, devido à localização da pista, próximo do mar. A junção do aeroporto com Maho Beach, a praia junto da pista, tornou-se ponto turístico e hoje em dia não faltam viajantes na areia da praia para admirar essa sintonia entre obra humana e natural. Chegar de navio também é possível  afinal, são diversos os cruzeiros que desembarcam na região. A única desvantagem de chegar por uma embarcação é ter que se contentar com pouco tempo nesse paraíso.

A má notícia é que, para os brasileiros que partem do Brasil, não há muitas companhias aéreas operando nessa rota e chegando ao destino de maneira fácil. Há a possibilidade de viajar com a American Airlines (conexão em Miami) e a Delta (via Atlanta), além da TAM, através de suas parceiras; a alternativa mais rápida é utilizar a Copa, que faz conexão no Panamá e não exige que o passageiro vá primeiro aos EUA para depois desembarcar em St. Maarten.  O moderno aeroporto Princess Juliana conta com uma boa estrutura para os turistas e recebe aviões como o 747 da KLM. Ele pode ser interessante caso você queira ir a alguma ilha próxima de St. Maarten e é utilizado até mesmo por quem ficará apenas do lado francês, pois o Aeroporto de Grand Case (na face norte) recebe apenas voos de pequeno porte.

Onde Ficar

São tantas as opções de hotéis e áreas diferentes na ilha que fica até difícil decidir onde se hospedar. Antes de se perguntar sobre os hotéis, pense na maneira que você pretende circular, pois a escolha do meio de transporte influencia diretamente na escolha da acomodação. Optando por alugar um carro (escolha favorita dos turistas), a localização do hotel não precisa ficar em primeiro plano e você pode se dar ao luxo de escolher hospedar-se afastado do burburinho do comércio; se, por outro lado, prefere estar sempre perto do comércio ou circular em ônibus, um hotel bem localizado passa a ser mais importante.

O lado holandês da ilha é famoso pela vida noturna e tem como áreas principais Simpson Bay e Maho; o lado francês é considerado mais pacato – por lá destacam-se as áreas de Grand Case, Anse Marcel e Orient Bay. As capitais Philipsburg e Marigot acabam por não se sobresair no que diz respeito a hotelaria porque, apesar de serem áreas legais durante o dia, não têm muito movimento à noite.

 

Princess Heigths Luxury Condo Hotel 

Situado em uma colina com vista para a Praia Dawn, o Princess Heights Luxury Condo Hotel oferece acomodações com vista mar do Caribe. Possui piscina ao ar livre, banheira de hidromassagem e academia. Os estúdios e as suítes são espaçosos, e apresentam decoração elegante e moderna, ar-condicionado, varanda, Wi-Fi gratuito e TV de tela plana. Há também uma cozinha comum ou compacta, com microondas, geladeira e cafeteira.

Você poderá desfrutar de um café da manhã continental na sala de refeições do Princess Heights. Restaurantes, bares e cafés podem ser encontrados no centro de Oyster Pond, a 5 minutos a pé do hotel. A Baía de Oyster Pond fica a apenas 200 m do Princess Heights, enquanto o bairro francês Sint Maarten e o Quartier de Orléans estão a 2 km do hotel. O Aeroporto Internacional Princess Juliana fica a 25 minutos da propriedade.

Coral Beach Club 

Situado ao longo da Praia Dawn, na costa oriental de St. Maarten, este resort oferece uma bela vista do oceano. A equipe de concierges pode fornecer assistência com atividades e pedidos especiais. Você pode desfrutar dos ventos alísios do terraço de cada vila ou casa do Coral Beach Club. Estas incluem TV de tela plana, dock station para iPod e cozinha italiana completa.

Cada vila do Coral Beach apresenta uma piscina privativa. Você também pode relaxar na Praia Dawn, receber uma massagem no quarto ou contratar seu próprio chef. Dispõe também de acesso gratuito à internet sem fio (Wi-Fi). O centro de Philipsburg está a apenas 10 minutos do Coral Beach Club. A vila de pescadores de Grand Case fica a 15 minutos.

Royal Palm Beach Resort

Este resort está sediado na baía Simpson em Phillipsburg, área de St. Maarten. Oferece acomodações espaçosas em estilo de suítes com vistas espetaculares sobre o oceano e ainda uma variedade de agradáveis atividades. O Royal Palm Beach Resort disponibiliza suítes com 2 quartos que incluem cozinhas completamente equipadas com todos os utensílios necessários e TV a cabo para colaborar no relaxamento dos hóspedes.

As atividades locais do resort incluem mergulho, aluguel de jet-ski, voleibol de praia e muito mais. Os interessados ainda poderão fazer uma aula de aeróbica ou relaxar com uma massagem.

O que Fazer 

Em uma ilha caribenha, o mar não poderia deixar de ser o atrativo principal, é claro. A ilha tem praias para todos os tipos e gostos, e certamente alguma delas irá ganhar seu coração. Durante o dia, curtir o sol e o calorão com um mergulho estratégico no mar verdinho é o principal programa dos turistas. Se a ideia é conhecer uma praia superbadalada, não deixe de ir à Orient Beach; se quiser um clima mais “relax”, aposte em Long Bay ou Mullet Bay, que parece uma piscina natural enorme, tamanha a sua calmaria.

Praias

Maho Beach 

Maho Beach é uma das praias mais famosas de St. Maarten e um dos lugares que você não pode deixar de conhecer em sua viagem. Justamente na frente dessa praia fica o aeroporto Princess Juliana, onde chegam aviões de diferentes tamanhos. É sua oportunidade de curtir o mar podendo ver aviões passando acima de sua cabeça.  As águas dessa praia são bem clarinhas, às vezes com ondas mais fortes ou mais fracas, a depender das condições do tempo. Sua estrutura é boa, com bares legais nas duas laterais vendendo bebidas, petiscos e outros pratos. Do lado esquerdo da praia fica o Sunset Beach Bar, ideal para petiscar, ver aviões chegando e tirar fotos. O bar também informa os horários de voos e aviões todos os dias; basta olhar uma prancha fincada na areia.

Os aviões grandes costumam chegar a partir das 10h ou 11h e são os mais interessantes de observar. Na decolagem das aeronaves, muita gente se coloca em frente à pista para sentir o jato de vento provocado pelas turbinas, mas é importante ficar atento, caso deseje fazer a brincadeira: ela pode provocar acidentes e acabar lhe machucando.

Orient Beach 

Orient Beach, ou Orient Bay, é um dos points da ilha. Trata-se de uma praia grande, com águas bem verdes e uma superestrutura – espere encontrar por lá diversos bares e restaurantes na beira da areia, além de várias atividades na água, como pula-pula e banana boat.

A praia é dividida em duas áreas: uma convencional e cheia de bares; a outra, dedicada ao naturismo, onde a pessoa não é obrigada a ficar sem roupa, mas pode optar por fazê-lo, caso queira. Independentemente de estar na área naturista ou não, há mulheres praticando topless.

Compras 

A realidade é que a ilha não é um paraíso para os consumistas, mas há, sim, lojinhas que podem render pechinchas. Se você é do time das compras, já pode ir planejando uma pequena listinha, porque os preços por lá costumam ser mais atrativos do que no Brasil.Marigot, a capital francesa, não é tão interessante para compras quanto Philipsburg. Espere menos variedade de lojas e menor quantidade, também. A região tem um shopping modesto, o West Indies Mall, com algumas lojinhas interessantes e lojas de rua que são legais para encontrar roupas por um preço bacana. Se quiser investir em cremes e produtos de beleza, não deixe de visitar as farmácias, recheadas de produtos franceses.

Feira de Marigot 

Bem no centrinho de Marigot, em frente à Baía de Marigot, funciona, aos sábados, uma feirinha que pode render boas compras. Os expositores vendem de tudo um pouco: roupas de praia, lembranças de viagens, pinturas e outros produtos criados por eles mesmos.

Dicas 

Documentos
– Brasileiros a turismo que viajam por até 30 dias não precisam de visto prévio para entrar em St. Maarten, porém é necessário passaporte e podem ser requeridos, pelo oficial da imigração, documentos que comprovem seu local de hospedagem na ilha, bem como passagem de ida e volta e informações quanto às suas condições financeiras.

– Quem se hospeda em St. Martin precisa ficar atento ao fato de que esse lado da ilha não está sob a mesma legislação que St. Maarten. As condições de entrada em St. Martin são as mesmas da França: passaporte válido, comprovante de passagens de ida e volta, reserva do hotel, seguro-viagem no valor de 30.000€, comprovantes de meio de subsistência. As mesmas regras valem para St. Barth.

– A CNH (Carteira Nacional de Habilitação) não funciona como documento para entrar nos países – apenas o passaporte exerce essa função -, mas será necessária caso você queira alugar um carro.

Idioma 
A língua oficial na face norte é o francês e na face sul holandês e inglês. O inglês é amplamente utilizado dos dois lados, principalmente entre as pessoas que trabalham com turismo – se você fala a língua provavelmente não encontrará dificuldades. Não é raro ver pessoas falando espanhol ou papiamento, por exemplo, pois a ilha realmente mistura muitas culturas.

Quando Ir 

É quente durante todo o ano em St. Maarten e St. Martin; por isso, qualquer época é legal para viajar, certo? Mais ou menos. Sim, faz calor o ano todo, mas o tempo não é tão bom em todos os meses. Do final de abril a novembro/dezembro a incidência de nuvens é maior e a probalidade de chuvas também.

Além disso, a ilha está sujeita a furacões durante a temporada que vai de 1º de junho a 30 de novembro; é bom evitar os meses de agosto, setembro e outubro, quando a chance de pegar dias com mau tempo é maior. Ir nesse período, no entanto, não significa perder a viagem: tempo é algo imprevisível e você pode acabar aproveitando muito e curtindo bastante sol, mesmo nesse período.

Referências

http://viajeaqui.abril.com.br/paises/saint-martin-sint-maarten

http://guia.melhoresdestinos.com.br/onde-ficar-em-sint-maarten-saint-martin-121-1296-p.html

http://www.stmartinisland.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado