Saiba como é fazer uma viagem pelo mítico e histórico Orient-Express

Eduardo Vessoni

Do UOL, em Paris

Certas viagens de trem costumam causar sensações nostálgicas em passageiros de todas as nacionalidades, sobretudo entre viajantes que não contam com uma malha ferroviária tão completa quanta as encontradas em território europeu.

O Velho Continente, dono de mais de 200 mil km de vias sobre trilhos, é um daqueles destinos ideias para quem procura a experiência de ter, do lado de fora da janela do trem, o cenário bucólico do interior, naturalmente, cenográfico de países alpinos e de outras geografias da Europa.

E para provar que aqueles roteiros europeus parecem retirados, literalmente, de algum bom livro, o UOL Viagem embarcou no clássico Orient-Express em Paris para realizar uma das viagens mais famosas a bordo de um ícone dos trilhos.

Outras viagens clássicas operadas pela Orient-Express

Machu Picchu (1 dia)

A clássica viagem até as ruínas incas de Machu Picchu a bordo do Hiram Bingham tem início pela manhã bem cedo e retorno no mesmo no final da tarde. Aperitivos, brunch e jantar são alguns dos serviços incluídos no bilhete.

 

Veneza-Londres (5 noites)

Esta viagem de cinco dias com início em Veneza – cidade italiana famosa por seus canais – passa por Praga (República Checa), onde os passageiros têm duas noites de hospedagem, e termina na capital da Inglaterra após 5 dias de travessia. O trajeto inclui também uma breve parada em Paris, na França. Em algumas datas específicas do ano, a empresa opera também um roteiro parecido com paradas em Viena (Áustria) e Budapeste (Hungria).

 

Ásia (de 2 a 6 noites)

O impactante cenário asiático já é motivo suficiente para uma viagem pelo distante continente asiático, sobretudo quando do lado de fora da janela a travessia inclui cenários de Cingapura e Tailândia. Os roteiros vão desde duas noites entre Cingapura e Bangcoc, com breve parada na Malásia, até seis noites com direito a visita a vilarejos históricos.

Assassinato no Expresso do Oriente

Embora realize viagens luxuosas de trem desde 1883, o Orient-Express ficou conhecido com a obra ‘Assassinato no Expresso do Oriente’, livro policial da escritora britânica Agatha Christie, de 1934. A ‘Rainha do Crime’ encontrou inspiração para ambientar uma das histórias mais famosas do personagem Hercule Poirot durante uma longa parada de seis dias a bordo do trem devido a uma nevasca na Turquia.

Operada sob o nome Venice Simplon-Orient-Express, a travessia entre Paris e Veneza tem duração de uma noite e percorre os 800 km entre a capital francesa e a cidade italiana famosa por seus canais. No roteiro, o passageiro ainda coleciona paisagens do interior de países como a Suíça e a Áustria. O valor por pessoa em uma cabine dupla para essa viagem era de US$2760 em maio de 2013.

A viagem oferece experiências dignas de uma boa clássica história inglesa. Coquetel de recepção na Estação do Leste, em Paris, jantar de gala a bordo com comensais vestidos com black tie e cabines com serviço de mordomo durante toda a travessia.

As opções de entretenimento a bordo são reduzidas e se resumem a um vagão lounge com um piano bar e uma pequena boutique com alguns produtos personalizados. E quem precisa de mais quando passam pela janela da cabine paisagens típicas dos Alpes com seus inconfundíveis picos nevados e casas de madeira?

É tanta inspiração que sobra até tempo para escrever algum clássico da literatura.

Orient-Express

www.orient-express.com

Venice Simplon-Orient-Express

www.vsoe.com

The Royal Scotsman

www.royalscotsman.com

Fonte: Uol Viagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado