Rússia

A imagem que a Rússia traz de uma imensa terra gelada cheia de bebedores de vodka é um dos estereótipos mais injustos imputados a um país. Se acha que faltam cores, lembre-se das mirabolantes cúpulas da catedral de São Basílio, em Moscou, ou dos ícones religiosos das igrejas ortodoxas. São todos sisudos? Recorde-se dos movimentos de balés como Kirov e Bolshoi ou as encantadoras melodias produzidas por Tchaikovsky, Shostakovich ou Stravinsky. Dos czares encastelados no Kremlin a algumas das mais belas e talentosas tenistas do circuito internacional, passando por gênios da literatura como Pushkin, Dostoievski e Tolstoi ou os criadores do viciante Tetris, muito do encanto da Rússia vem de seu próprio povo, complexo, culto e, ao seu modo, muito bem humorado.  Conhecer o maior país do mundo é uma odisseia cheia de obstáculos que incluem o alfabeto cirílico, uma infraestrutura um tanto confusa, agentes públicos nem sempre bem-intencionados e a própria extensão da Rússia, que se estende de Vladivostok ao Mar Báltico, da gélida Sibéria aos resorts do Mar Negro.

Para o turista comum tudo gira em torno do Kremlin, a cidadela dos czares transformada em quartel-general dos chefões comunistas, símbolo do poder soviético e capital da Rússia de mercado (supostamente) aberto. Das torres de suas ameaçadoras muralhas aos domos dourados de suas belas igrejas, dos palácios aos jardins, definitivamente essa é a atração número um da cidade. Junto a ela está a ampla Praça Vermelha, cujo ponto focal é a extravagante Catedral de Para o turista comum tudo gira em torno do Kremlin, a cidadela dos czares transformada em quartel-general dos chefões comunistas, símbolo do poder soviético e capital da Rússia de mercado (supostamente) aberto. Das torres de suas ameaçadoras muralhas aos domos dourados de suas belas igrejas, dos palácios aos jardins, definitivamente essa é a atração número um da cidade. Junto a ela está a ampla Praça Vermelha, cujo ponto focal é a extravagante Catedral de São Basílio, um festival de cúpulas coloridas onde turistas se demoram tentando achar o melhor ângulo para sua fotografias.

Para uma semana muito bem aproveitada, divida-se entre São Petersburgo e Moscou, tão atraentes como distintas entre si. Em ambas abundam palácios, igrejas, ótimos restaurantes e uma vida cultural agitada, repleta de teatros e concertos do mais alto nível. Se sobrar tempo e disposição, descubra os lagos e igrejas da Karelia, junto à fronteira com a Finlândia. Se a pedida por uma jornada para toda uma vida, aventure-se pelos 10 mil quilômetros e oito fusos horários da ferrovia transiberiana, testemunhando pela janela do trem paisagens que vão de pradarias intermináveis ao lago Baikal.

Como Chegar

O Aeroporto Internacional Domodedov ( DME) fica ao sul do centro da cidade, equipado com as mais modernas tecnologias, é o maior da Rússia,  utilizados para vôos internacionais, e com balcão de informações em inglês. Não há voos entre o Brasil e a Rússia. Para se chegar às maiores cidades, o ideal é optar por companhias aéreas como KLM, British Airways, AirFrance, Iberia e Swiss.

Como Circular

As estações de metrô de Moscou são como museus, ricas com belos lustres, esculturas, afrescos, construídas na época do Comunismo são bem marcantes, com esculturas agressivas de soldados com armas, cachorros (Para dar sorte é obrigatório passar a mão no focinho do cachorro, os russos são bem supersticiosos.) O metrô é bem profundo, escadas rolantes enormes, bem eficiente de linhas com vagões novos, limpos e lotados. O melhor é ir com algum nativo, como um guia, pois não há informações em inglês e as estações só são anunciadas em russo.

Tverskaya é a  principal avenida de Moscou, a apenas uma curta caminhada do Kremlin, da Praça Vermelha, do Teatro Bolshoi de outros pontos históricos. Antigamente usada pelos czares como saída oficial para São Petersburgo, e hoje em dia é a principal rua comercial de Moscou com shoppings, restaurantes e hotéis, está entre as 10 ruas mais valorizadas do mundo, preço médio do metro quadrado de seus imóveis cotado a 7,4 mil dólares. Para atravessá-la há passagens subterrâneas com lojinhas e escadarias. Na época em que Moscou foi reconstruída por Stalin muitos prédios foram postos abaixo para que a rua fosse alargada, mas muitas construções do período pré-revolucionário ainda se encontram em pé para contar história.

Gastronomia

A gastronomia da Rússia tem uma grande variedade de ingredientes e sabores em uma medida certa na fusão do melhor da cozinha oriental e ocidental. Não tem o costume de oferecer pratos de digestão pesada, nem de sabor picante, mas mistura de sabores agridoces. A cozinha russa é conhecida no mundo pelos seus petiscos: o balyk (lombo do esturjão curado), o solho-rei com saramago-maior, o salmão mal-salgado, o caviar de esturjão(preto) e o caviar de salmão (vermelho); os cogumelos salgados e marinados (míscaros e boletos).

As beterrabas são muito populares na culinária russa e incluídas em muitos pratos tradicionais, como a deliciosa sopa de beterraba conhecida como borscht. É costume servir uma deliciosa variedade de petiscos quentes e frios.O Caviar é muito popular na Rússia e é frequentemente servido com pão, batatas ou panquecas finas conhecidas como blinis.

A vodka é a bebida favorita na Rússia, que pode ser servida durante todo o jantar. É habitual o brinde à saúde no tilintar dos copos. Depois de uma segunda rodada de brindes, são servidos os pratos principais, que vem da cozinha em peças inteiras e decoradas.

O Que Fazer 

Catedral de São Basílio

Quem visita Moscou já tem uma atração em mente: a formidável Catedral de São Basílio. A multicolorida e alegórica igreja ortodoxa cristã fica no coração da cidade, na Praça Vermelha, junto aos muros do Krêmlin. Construído sob ordens de Ivan, o Terrível, após sua vitória na batalha de Kazhan, esta é provavelmente a imagem mais conhecida da Rússia no exterior.

Seus domos coloridos encimam pequenas capelas, sendo uma representação da Cidade de Deus revelada a São João, o Divino. Com claras influências bizantinas, o projeto de Posnik Yakolev foi concluído em 1561. Uma das lendas mais resistentes ligadas a São Basílio é que o czar, satisfeitíssimo com o trabalho final, mandou cegar o arquiteto para que ele nunca mais pudesse construir algo semelhante. O fato é que várias obras de Yakolev, incluindo a Catedral de Vladimir, foram levantadas após a policromática catedral moscovita.

Museu Hermitage

Simplesmente um dos melhores museus do mundo. O Museu Hermitage de São Petersburgo é a metáfora perfeita da guinada que o czar Pedro, o Grande, pretendeu conferir à Rússia. Uma mudança visando o Ocidente, seus costumes, cultura e artes.

O imenso complexo composto por seis palácios e pavilhões junto ao rio Neva compreende museus, teatro e escritórios governamentais. Fundado em 1764 por Catarina, a Grande, ele hoje ocupa parte dos aposentos dos czares, como o Palácio de Inverno. A rica coleção original composta por pinturas de Rembrandt, Hals, Veronese e Van Dyck, entre outros, foi expandida ao longo dos séculos. Da queda dos czares ao comunismo, passando pela nova economia, o Hermitage ganhou a reputação de ser o grande museu russo e um dos poucos que podemos chamar de imperdíveis no mundo. Prova disso foi a aquisição de pinturas de mestres impressionistas e modernistas como Cézanne, Renoir, Picasso e Matisse. Seu imenso acervo é somente parcialmente exibido em seus suntuosos salões rococó, uma atração a parte.

Destaques:

– Leonardo da Vinci, Sala 214, 2o. andar do Grande Hermitage

– Matisse e Picasso, salas 343-350, 3o. andar do Palácio de Inverno

– A Escadaria do Jordão

– Rembrandt, Sala 254, no 2o. andar do Grande Hermitage

– Arte Egípcia, Sala 100, no 10. andar do Palácio de Inverno

– Arte Italiana, uma viagem por obras de Botticelli, Caravaggio, Rafael e Ticiano, entre as Salas 207 e 238, no 2o. andar do Grande Hermitage

Dicas.

Compre o ingresso antecipadamente via website para evitar as grande filas. Há dois tipos de bilhete, um válido apenas para as coleções do museu e outro para outros edifícios do complexo.

 

Referencias:

www.sorusso.com.br/conteudo/culinaria.

russiaeco.blogspot.com/p/gastronomia.html

Rússia

http://www.vamospararussia.com.br/compras.html

Gastronomia Russa

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado