Paris

Tudo o que contam sobre Paris é verdade. Poucos lugares do planeta marcam um antes e um depois tão claro na vida de quem a visita. Habitada por 2,3 milhões de pessoas, sem contar a zona metropolitana, a capital da França não foi presenteada com uma geografia que a diferenciasse especialmente por sua beleza natural, como o Rio de Janeiro ou Veneza, por exemplo. Mas seu conjunto arquitetônico deslumbrante, o charme de suas ruas e avenidas e seus imponentes monumentos lembram o turista a todo momento que ele está diante de parte do melhor que o ser humano foi capaz de construir  e preservar.

Restringindo-se ou não ao clássico circuito Louvre-Torre Eiffel-Arco do Triunfo-Champs Elysées, a pé, de metrô ou de bicicleta, o que não falta é local bonito para conhecer – tanto para notívagos quanto para quem acorda cedo, como ressalta Adriana, a personagem de Marion Cotillard em Midnight in Paris, filme de Woody Allen que celebra as maravilhas da cidade. Paris tem muita informação em cada esquina, cada pequeno café, cada impecável bulevar. Uma quantidade de atrativos que se equipara à sua riqueza humana, fazendo do encontro entre o multiculturalismo dos milhões de imigrantes e o orgulho e a elegância dos parisienses um programa imperdível por si só.

Como Chegar

Os voos do Brasil pousam normalmente no aeroporto Charles de Gaulle, na cidade vizinha de Roissy. Para chegar ao centro, as opções são os caros táxis (cerca de € 50), trem ou o serviço de traslados pré-agendados Parisshuttle (www.parisshuttle.com). Outro aeroporto bastante utilizado é o de Orly . De lá uma das melhores opções é pegar o ônibus da Air Frances Les Car, que custa € 11,50 e faz uma viagem de 35 minutos. Há outras alternativas utilizando transporte público, sempre combinando trem, metrô ou ônibus. De táxi a taxa fica entre € 39 e € 50. A cidade está conectada com o resto do país por uma eficaz malha ferroviária da SNCF (www.sncf.com).

Como Circular

Paris possui uma vasta malha de transportes públicos, formada por trens que a ligam aos subúrbios (RER), metrô e ônibus. Os carnets de dez tíquetes Ticket t+ (€ 12,50) são opções práticas para quem está mais dentro do centro e fará poucas viagens. Já o cartão Paris Visite é útil para curtos períodos e viagens ilimitadas, além de oferecer descontos em algumas atrações da cidade. Informações em www.ratp.fr

Onde Ficar

Paris tem todo tipo de hospedagem – para todos os bolsos, para todos os gostos. Oficialmente eles estão classificados num raking que vai de uma a quatro estrelas, mas mesmo esse sistema não é muito confiável. Fora os grandes ícones da hotelaria local, como Ritz, l’Hotel e Intercontinental, as ofertas são amplas e variadas. Ao norte do Sena estão os grandes hotéis, com decoração pomposa, restaurantes estrelados e serviço impecável. Ao sul, na região dos bulevares, estão hotéis-butique, muito charmosos e aconchegantes. As regiões de Les Halles e do Marais, antes um tanto degradadas, são bem servidas pelo comércio local, a comodidade de estarem próximas à muitas atrações e por terem algumas boas ofertas de apartamentos de aluguel. Já o entorno da Ópera, do Palais Chaillot (Trocadero) e Louvre são especialmente práticas para o turista que quer fazer tudo andando e ter tudo à mão. Em boa parte deles as instalações para famílias com crianças e para os hóspedes com necessidades especiais são bem básicas — quando existem. Estabelecimentos mais simples têm banheiros compartilhados, não possuem elevadores (péssimo para quem tem muitas malas) e sua área comum é bem acanhada, inclusive para o café da manhã.

Se quiser comodidade sem surpresas, opte por hospedagem oferecida pelas grandes redes hoteleiras, que aí sim vão lhe oferecer serviços como TV a cabo, ar-condicionado, restaurante interno, room service, conciergerie e serviço de câmbio. Só que aí você perderá um pouco do charme da cidade e terá uma experiência mais pausterizada. A dica: compare preços e serviços e preste atenção na real localização dos estabelecimentos: hotéis intitulados “Tour Eiffel” podem estar a mais de dois quilômetros da torre, assim como há os que dizem estar em Montmartre, mas estão quase numa cidade vizinha.

Uma modalidade alternativa e interessante é o apartamento de aluguel, ideal para longas estadas (de uma semana a três meses) ou para quem quer mais conforto e privacidade. Estes são classificados por tamanho, que vão de pequenos estúdios a suntuosas coberturas. Os preços começam a partir dos € 130/noite nos imóveis oferecidos na Guest Apartment Services (www.guestapartment.com) ou no Paris Attitude (www.parisattitude.com). Com relação aos preços, a cidade não tem exatamente uma baixa temporada, com os valores sempre um pouco salgados. Reservas com boa antecedência e uma consulta ao seu agente podem render bons descontos.

Passeios e Atrações

Para os que apreciam artes plásticas, depare-se com obras-primas em museus imperdíveis como o Rodin, o Quai-Branly, o Instituto Georges Pompidou e o magnífico D’Orsay e sua vasta coleção de impressionistas. Já em salas como a Bastille e a Opera Garnier você encontrará magníficas produções de dança e música. Do profano ao sagrado não deixe de visitar joias da arquitetura sacra na pequena, mas estonteante, Saint-Chapelle, ou na icônica Sacre Coeur, no bairro boêmio de Montmartre. Quando as pernas clamarem por um descanso, sente-se num banquinho em lugares charmosos como o Jardim das Tulherias – entre o Louvre e a Champs-Elysées, a aristocrática Place des Vosges ou os concorridos Jardins de Luxemburgo. Locais um pouco menos lotados, mas que definitivamente merecem uma visita são o Instituto do Mundo Árabe, o parque La Villette e os museus Carnavalet e Cluny, todos eles mostrando uma faceta diferente da cidade. Por fim, caso você realmente queira descobrir um lado oculto de Paris, reserve um tempo para atrações curiosas como seus curiosos Esgotos, as sinistras catacumbas e o ‘popular’ cemitério Père-Lachaise.

Torre Eiffel: 324 metros, 10.100 toneladas, 1.665 degraus: o símbolo incontestável de Paris foi erigido por Gustave Eiffel, para a Exposição Universal de 1889. Não perca: a Torre Eiffel cintila nos cinco primeiros minutos de cada hora, ao cair da noite até 1h da madrugada.

Champ-de-Mars – Metrô Bir Hakeim – Tel.: 0 892 70 12 39 (0,337 euro/min)www.tour-eiffel.fr . Todos os dias: das 9h30 às 23h45 – De meados de junho ao final de agosto: 9h às 0h45.

Champs-Élysées

Luxo e moda, grandes restaurantes, teatros e museus: Do Arco do Triunfo à Place de la Concorde, acha-se de tudo na mais bela avenida do mundo.

Arco do Triunfo

Construído entre 1806 e 1836, o arco celebra as vitórias da Grande Armada de Napoleão. Uma chama, que é acesa todas as tardes às 18h30, destaca o túmulo do Soldado desconhecido.  Place Charles-de-Gaulle (8°) – Metrô Charles de Gaulle – Étoile  Tel.: 01 55 37 73 77 – www.monuments-nationaux.fr.Todos os dias, exceto feriados. De 1º de abril ao 30 de setembro, das 10h às 23h; e do 1º de outubro ao 31 de março, das 10h às 22h30.

Museu Do Louvre: Antigo palácio dos reis da França, o Louvre expõe 35.000 obras de arte – das 350.000 do seu acervo – da antiguidade até 1848. Entrada pela pirâmide (1°). Metrô Palais Royal – Musée du Louvre – Tel: 01 40 20 50 50 – www.louvre.fr. Todos os dias: 9h às 17h45, exceto às terças, 1° de janeiro, 1° de maio e 25 de dezembro Quartas e sextas: visitas noturnas até às 21h45.

Catedral de Notre-Dame: Carro-chefe da arte gótica, foi construída nos séculos XII e XIII sobre a Île-de-la-Cité. Torres, museu e cripta arqueológica. Parvis Notre-Dame, 6 – place Jean Paul II (4°). Metrô Cité – Tel.: 01 42 34 56 10 – www.notredamedeparis.fr. De segunda a sexta: das 8h às 18h45 – Sábados e domingos: das 8h às 19h15.  Visitas limitadas aos domingos em razão dos ofícios religiosos.

O que Comer

Uma visita a Paris não é completa sem apreciarmos sua maravilhosa cozinha. De um café no boulevard Saint St. Germain a um bistrô escondido no Marais, de um três estrelas Michelin a uma tentadora boulangerie, aqui a gastronomia possui o status de arte. O ratatouille e o escargot podem até serem os pratos dos turistas, mas não deixe de experimentar os menu du jour nos almoços.

Existem muitas variantes, mas a preços bem convidativos você pode ter uma entrada, um prato principal, uma sobremesa, uma taça de vinho da casa e um café. Ou simplesmente faça como muitos parisienses e monte um sanduichão com uma baguette fresquinha, sente-se às margens do Sena e aprecie a fantástica paisagem. Com um bom vinho e muito bem acompanhado. Dentre as opções clássicas estão o Le Procope, o restaurante mais antigo da cidade, o Le Tour d’Argent e sua competente adega e o antigo café Deux Magots, em Saint Germain de Prés.

 

Referências:

www.conexaoparis.com.br/

www.vamosparaparis.com/

viajeaqui.abril.com.br

pt.parisinfo.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado