Nova York

Nova York, a mais rica e influente cidade do planeta pulsa dinamismo e agito cultural. Você já viu essas ruas, praças e edifícios em dezenas de filmes, mas uma visita a esse local  é sempre um encontro com o inusitado e o fascinante. É impressionante perceber que a verticalidade de seus arranha-céus, como o Empire State Building, combina perfeitamente com as linhas horizontais da Brooklyn Bridge ou os gramados do Central Park. Os musicais nas casas ao longo da Broadway complementam a grandiosidade de super-museus como o MoMA, o Metropolitan e o New Museum ou os disputados eventos esportivos em templos sagrados como o Yankee Stadium e o Madison Square Garden.


Seus restaurantes estão entre os melhores do mundo, não importa a especialidade, assim como seus hotéis. Aliás, hospedagem aqui é um dos custos mais altos para os viajantes. Para circular pela Big Apple abuse das linhas do metrô, sempre práticas e perto das melhores atrações, e evite os táxis para não correr o risco de ficar preso no famoso trânsito local. As opções de compras são as mais variadas que se pode imaginar, de brinquedos a roupas, de eletrônicos a livros raros, afinal não há cidade que melhor simbolize o capitalismo que Nova York, afinal, ícones como Wall Street e a Nasdaq estão aqui.

Curiosidade: Nova York é uma das maiores cidades judias do planeta e parte dessa história começou com sefarditas expulsos de Pernambuco pelos portugueses. Eslava e caribenha, hispânica e muçulmana, quem vai para Nova York tem encontro marcado com o melhor (e um pouco do pior) que o mundo inteiro criou para fazer a sua América.

Como Chegar (Via Aérea)

Voos diretos ligam a cidade a São Paulo com American Airlines (www.aa.com), Continental Airlines (www.continental.com), Delta Airlines (www.delta.com) e TAM (www.tam.com.br). Os aeroportos que servem a região metropolitana são JFK (www.kennedyairport.com), La Guardia (LGA, www.laguardiaairport.com) e Newark (EWR, www.newarkairport.com) e o transporte entre eles e o centro da cidade, na ilha de Manhattan é feito através de trens, táxis ou shuttle vans.

Do JFK ao centro da cidade uma das melhores opções é o AirTrain, que vai até Jamaica Station, Lower Manhattan e Brooklyn. A viagem dura cerca de 40 minutos. A alternativa mais barata até Lower Manhattahn é o ônibus MTA NYC Bus, mas as jornadas duram pelo menos uma hora. O preço é de $ 2.50, mas não é muito cômodo na hora do rush. Os bem práticos serviços Go Airlink e Super Shuttle te deixam na porta do seu hotel, com preços girando em torno dos $ 25. Demoram um pouco para sair, pois alguns deles esperam encher a van para partir e a viagem é mais longa se você for o último a descer. De qualquer forma, tem ótima relação custo-benefício. Finalmente, se nada disso funcionar você pode tentar um táxi (cerca de $ 50), mas as filas por um podem ser longas.

As mesmas companhias acima oferecem o transfer entre Newark Liberty para Manhattan e Brooklyn, com exceção dos ônibus, operados pela New Jersey Transit. De LaGuardia novamente você terá as opções de vans com a Go Airlink e Super Shuttle, táxis, ônibus expressos da Airport Service ($ 12 até Grand Central) e ônibus comuns da Metrobus ($ 2.50).

( Via Terrestre)

Trens operados pela Amtrak são um modo prático para chegar a cidades na Costa Leste, como Washington DC, Boston e Philadelphia. Existem composições que também rumam para destinos mais distantes, como Orlando, Toronto, Chicago e a Costa Oeste. Os trens partem da estação Penn Station.

Ônibus saem com regularidade para cidades da Costa Leste. Para Boston, boas opções são o Boston Deluxe – que sai de Midtown e Uptown, e Limoliner (com serviço de bordo e wifi). Philadelphia e Washington DC são servidas por linhas da Eastern Travel e Washington Deluxe. Algumas possuem serviço de bordo e wifi.

Onde Ficar

Não há como fugir dos preços altíssimos da hotelaria nova-iorquina. A boa notícia é que as diárias variam muito, dependendo de eventos e épocas do ano, e podem-se achar boas promoções nos sites dos hotéis. A regra geral é: se você não conhece o lugar, não arrisque reservar nada por menos de US$ 150 a diária, pois a chance de ser um pulgueiro é grande. Fique atento aos hotéis com tarifas mais baixas (de US$ 100 para baixo): geralmente estão antiquados, não têm acomodações adequadas para crianças e cadeirantes, não possuem elevador e os banheiros são compartilhados. É raro também achar hotéis com café da manhã incluído na diária – e, se incluem, pode ser só café preto e um muffin ou bagel bem mixurucas.

Diferentemente de outras cidades americanas, não espere que os quartos sejam superespaçosos. No geral, os hotéis em NY têm quartos pequenos e conforto básico, o que não precisa ser um problema, pois grande parte do tempo na cidade, a gente passa pelas ruas.Dê preferência a acomodações que fiquem próximas a uma estação de metrô, isso facilitará seu deslocamento pela cidade.  Saiba que nos hotéis de NY, além do valor das diárias, há um imposto cobrado à parte. São 14,75% de imposto, mais $3,50 por diária.

A cidade tem recebido muitos investimentos no setor hoteleiro, tanto em mega-empreendimentos como em simpáticos e bem decorados hotéis-butique. No médio prazo, portanto, espera-se uma oferta com uma qualidade geral superior e preços um pouco mais em conta. Na hora de escolher onde ficar, a maioria das pessoas prefere ficar na ilha de Manhattan mesmo. Distritos em torno do Central Park, os Villages (East, West e Greenwich), Soho e Tribeca são os mais convenientes em termos de transportes, serviços e proximidade com as atrações. Com albergues e hostels tipo “The Y” entre US$ 50 e 100 e acomodações medianas gravitando em torno dos US$ 200, vale a pena considerar também hospedagens no Queens, Brooklyn e em New Jersey, que podem ser alguns pequenos achados.

The French Quarters

Estes apartamentos estão localizados na Restaurant Row, em Nova York, a 10 minutos a pé da Times Square e da área de teatros. A propriedade dispõe de acesso gratuito à internet sem fio (Wi-Fi) e de um bar e churrascaria no local. As acomodações do French Quarters Guest Apartments estão equipadas com uma televisão plasma com leitor de DVD. O relógio de alarme é compatível com iPod e é fornecido um cofre no quarto.

Esta propriedade está situada em Manhattan e todas as manhãs serve um café-da-manhã continental. Estão ao seu dispor serviço de concierge e de compras privadas no local.O Bourbon Street Bar and Grille do French Quarter é uma homenagem à antiga Nova Orleans e serve pratos famosos à base de frango e frutos do mar. O lounge fica no térreo e oferece jantares casuais, coquetéis e lanches. O The French Quarters Guest Apartments está a 4 quarteirões do metrô. O Radio City Music Hall e Madison Square Garden ficam a 15 minutos a pé desta propriedade. Oeste de Midtown é uma ótima escolha para viajantes interessados ementretenimento, passeios e teatro.

CitizenM New York Times Square

Localizado no centro de Manhattan, este hotel fica a 1 minuto de caminhada da Avenida Times Square e a 5 minutos de caminhada do Central Park e da Columbus Circle (praça). Além disso, o Rockefeller Center (complexo de edifícios) e o Empire State Building (edifício famoso) estão a 15 minutos de caminhada da propriedade. Os quartos do citizenM dispõem de TV de tela plana, frigobar com água mineral gratuita, bem como controle central digital de iluminação, música e eletrônicos. Os banheiros incluem chuveiro com efeito de chuva da marca Hansgrohe e amenidades de banho grandes. Você também pode desfrutar de Wi-Fi e filmes gratuitamente.

O Wi-Fi de alta velocidade e o check-in expresso estão disponíveis no citizenM New York Times Square. Você também pode desfrutar do serviço 24 horas de comidas e bebidas, incluindo café barista e coquetéis preparados na hora. Além disso, os computadores iMac e os serviços de impressão estão disponíveis gratuitamente. O New York Times Square citizenM dispõem de 3 terraços ao ar livre, bem como uma academia de última geração com instalações para ioga. Depois de malhar, você pode relaxar com bebidas e vistas panorâmicas da cidade no bar exclusivo da cobertura. Além disso, o saguão em estilo de área de estar dispõe de coleção de arte contemporânea e muito espaço para relaxar.

A Quinta Avenida e a Avenida Madison ficam a 5 minutos de caminhada do citizenM New York Times Square. Já o Museu de Arte Moderna fica a 10 minutos de caminhada da propriedade.

Courtyard by Marriott New York Manhattan/Chelsea 

O Courtyard by Marriott New York Manhattan/Chelsea está localizado a apenas 2 minutos a pé da Estação Pensilvânia e oferece academia no local. O Wi-Fi é gratuito.Todos os quartos possuem TV de tela plana a cabo, frigobar e ar-condicionado. Os banheiros são privativos e incluem secador de cabelo.

O Courtyard by Marriott New York Manhattan/Chelsea tem recepção 24 horas. A propriedade conta com depósito para bagagem, além de serviços de lavagem a seco e lavanderia.Você vai encontrar opções de restaurantes a poucos passos do hotel. O Niles Bar e Restaurante serve cozinha americana e está a 2 minutos a pé do local. O New York Manhattan/Chelsea Courtyard by Marriott fica a 9 minutos a pé do Empire State Building (edifício). A propriedade está a 1,1 km da Times Square (praça) e a 2,5 km do Central Park (parque).Midtown é uma ótima escolha para viajantes interessados em passeios, compras emuseus.

Passeios e Atrações

A High Line era uma linha de trem elevada que foi construída em 1930, no bairro de Chelsea. Desativada em 1980, o espaço deu lugar a um lindo parque urbano linear. Por sua proposta e qualidade de renovação da área que antes estava degradada, tornou-se referência mundial, no que concerne a convivência do verde com o concreto. Caminhar pela ponte mais famosa de Nova York é um dos passeios mais legais que a cidade oferece.

O Empire State Building é um dos símbolos de Nova York. Subir no mirante do gigante de 102 andares, visível de quase toda Manhattan, é uma das atrações turísticas mais concorridas da Big Apple. Aberto ao público dez anos após os atentados do 11 de Setembro, o Memorial do World Trade Center é um tributo as mais de três mil pessoas mortas naquela data. Confira neste post todas as informações necessárias para visitar gratuitamente o “Ground Zero”. Cenário do filme “Uma noite no Museu”, o American Museum of Natural History encanta adultos e crianças. O museu tem a maior coleção de fósseis de dinossauros do mundo além de milhares de peças que contam a evolução de animais, plantas e de todos os povos da terra.

 

American Museum of Natural History

Se você já assistiu ao filme Uma noite no museu, provavelmente irá se lembrar desse lugar, pois as filmagens acontecem dentro dele. O Museu de História Natural de Nova York foi fundado em 1869 e cresceu muito desde então. Ele recebe mais de 5 milhões de pessoas anualmente, aborda diversos temas e é um programa para pessoas de todas as idades. Ele tem coleções com enormes esqueletos de dinossauros e de animais pré-históricos, exposição sobre mamíferos e vida marinha, sala dos povos asiáticos e africanos, e também trata de temas como aves do mundo, biologia humana, minerais e pedras preciosas, entre outros.

São quatro andares de museus e um anexo, o Rose Center for Earth and Space, que trata de assuntos relacionados ao espaço e tem um planetário. Esse é um museu muito completo para quem gosta de ciências e história natural; os mais apaixonados podem passar um dia todo no local sem ver o tempo passar. O museu funciona com doações, o que significa que sua entrada tem um valor sugerido e você pode pagar quanto preferir para entrar. Embora você possa pagar apenas $1 para visitar o local, aqui há uma pegadinha: algumas exibições especiais desse museu estão acessíveis apenas para quem efetua o valor integral da doação. Há ingressos que dão direito a entrada em uma exibição especial e os que dão direito a entrada em todas as exibições especiais.

Onde Comer

Há poucos lugares no mundo onde se pode comer melhor do que em Nova York. Desde que, é claro, você tenha dinheiro. Chefs estrelados, mestres da inovação, público e críticos atentos aos mínimos detalhes. A cidade mais rica do mundo possui provavelmente a maior variedade de restaurantes com cozinhas nacionais – por exemplo, aquilo que conhecemos como restaurante chinês aqui é subdividido em casas regionais de Pequim, Fujian, Cantão, Sichuan, etc. Ou seja, os imigrantes que fizeram a América também trouxeram suas especialidades e assim a cidade tornou-se um festival de cores e sabores. Não ficam de fora também vegetarianos, veganos, os que seguem a dieta kosher e os orgânicos. Ninguém vai passar forme aqui.


Para as melhores casas é recomedado fazer reservas com muita antecedência. O ultrapopular Nobu, em Lower Manhattan, chega a ter filas de espera de mais de nove meses. Em todos eles é esperado ter um ótimo serviço, decoração de primeira, instalações confortáveis (inclusive para cadeirantes) e, é claro, uma cozinha primorosa. Opções mais frugais incluem as onipresentes deli (bons, deliciosos, mas nem sempre baratos; ótimos sanduíches e tortas), as simpáticas carrocinhas de hot-dog (nada de batatinha, purê e vinagrete; aqui o negócio é um queijo derretido tenebroso e um molho chili) e uma profusão de cafés (com muitos brownies, bagels e cookies). Não deixe de experimentar os ótimos hambúrgueres que fazem a fama da cidade.

 

Five Guys

Five Guys é uma rede de fast food americana famosa por servir hambúrgueres saborosos e por ser um lugar onde o presidente Obama gosta de fazer uma parada para um lanche. É um bom lugar para comer uma junk food ou para quem quer gastar pouco e quer um serviço de comida rápida. Alguns veículos já escolheram o Five Guys como detentor do melhor hambúrguer em Nova York.

 

 Compras

Fazer compras pode até não ser o objetivo principal de quem visita Nova York, afinal, a cidade tem tanta coisa para visitar… Entretanto, é inevitável voltar de viagem sem fazer pelo menos uma comprinha. A cidade é como um shopping a céu aberto, com centenas de lojas diferentes nas ruas, que vendem desde verdadeiras pechinchas até roupas da mais alta costura. Para encontrar de tudo no mesmo lugar, a dica é visitar as gigantes lojas de departamento, como a Bloomingdale’s, Saks Fifth Avenue e Macy’s, que vendem diversas marcas de produtos no mesmo local; as lojas são tão grandes que parecem verdadeiros shoppings e vendem de tudo mesmo – roupa masculina, roupa feminina e infantil, joias, cosméticos, malas, artigos esportivos etc.

Nova York realmente tem lojas que agradam a todos, tanto as lojas de marcas populares quanto as mais exclusivas. As lojas estão espalhadas, principalmente, por Manhattan e algumas áreas específicas são interessantes para encontrar variedade de lojas, uma perto da outra. A Quinta Avenida, por exemplo, é uma parada certeira para quem quer encontrar algumas das principais lojas do mundo. A Times Square, conhecida por seus letreiros famosos, também é um bom local para fazer compras pois reúne algumas das lojas que os brasileiros mais gostam de fazer compras. O Soho é imperdível para quem busca coisas diferentes, pois tem uma ótima variedade de lojas e além das lojas mais tradicionais, tem também boutiques de designers. A área da Herald Square e Union Square também têm boas opções de comércio.

Century 21

A Century 21 é uma loja de departamentos e, diferentemente das outras lojas do mesmo estilo, ela vende produtos de ponta de estoque. Seus preços são muito bons, como os de outlets; por isso o lugar é tão famoso e agrada aos consumistas de mão cheia.

Lá você poderá encontrar produtos de marcas famosas e roupas de designers renomados por preços bem inferiores aos praticados nas lojas convencionais. Um pouco de paciência é necessário para encontrar o que se quer, porque são muitos produtos, mas, no geral, o lugar é bem organizado. A loja vende roupas femininas, masculinas, bolsas, relógios, perfumes (com ótimos preços), calçados, malas e muito mais.

Fifth Avenue – Quinta Avenida

A Fifth Avenue ou Quinta Avenida é uma das vias mais importantes e conhecidas em Nova York. Ela já foi endereço de luxuosos casarões de pessoas ricas que viviam na cidade, mas hoje em dia é mais ocupada por edifícios comerciais e lojas. Um endereço na avenida vale uma fortuna e, por isso, ela abriga edifícios exclusivos e lojas das melhores marcas do mundo. Em alguns feriados, a avenida fica enfeitada e é fechada para desfiles, como os que ocorrem na Páscoa e dia dos veteranos.

Ótima para fazer compras, a Quinta Avenida tem lojas como a Apple, Saks, Cartier, Bloomingdale’s, Uniqlo, Forever 21, H&M, Best Buy, Tommy Hilfiger, Dolce & Gabbana Prada e edifícios como a biblioteca pública, Flatiron Building, Rockefeller Center e St Patrick’s Cathedral. É um lugar com muito movimento de pessoas e carros, cheio de lojas, bancos, edifícios tradicionais. Não dá para ir a Nova York e deixar de fazer um passeio a pé pela Quinta Avenida.

Quando ir 

Nova York é uma cidade para se visitar o ano inteiro, e o ano inteiro está cheia de turistas. Como está localizada no hemisfério norte, as estações do ano são opostas às do Brasil, o que costuma causar um certo choque térmico em quem viaja.Nova York possui estações bem definidas, o inverno tem cara de inverno, a primavera cara de primavera e assim vai. Cada uma das estações exibe uma atmosfera diferente, a melhor época para viajar depende muito do gosto pessoal. O inverno tem médias de 2º e o verão média de 24ºC, mas com sensação térmica que passa dos 40ºC em dias muito quentes. As chuvas são bem distribuídas ao longo do ano, não havendo uma estação chuvosa ou uma estação seca bem definidas, embora se saiba que na primavera costuma chover.

A primavera e o outono são períodos de transição, interessantes para quem não quer pegar o frio cortante do inverno ou o calor incessante do verão. Se na primavera plantas estão verdinhas e as flores coloridas, no outono o festival de cores é feito pelos tons de amarelos e vermelhos das folhas nas árvores. São épocas em que, costumeiramente, as temperaturas não são tão quentes ou tão frias.

Dicas

 

Documentos de viagem: Brasileiros que queiram visitar Nova York ou qualquer outro destino dos Estados Unidos necessitam de passaporte válido e visto. Há alguns meses, o processo para obter o visto americano foi simplificado e passou a ser muito mais rápido.  Apresentar a CNH brasileira é obrigatório para quem pretende alugar um carro nos Estados Unidos. A PID (Permissão Internacional para Dirigir) não é obrigatória, mas é bem-vinda, pois através dela sua CNH será traduzida para o inglês; em caso de acidente ou abordagem policial, a PID poderá facilitar quaisquer problemas. Nenhuma vacina é obrigatória para visitar os Estados Unidos.

Procure sempre andar com uma cópia do seu passaporte na mochila e manter consigo um documento original brasileiro. Para maior segurança, o passaporte, que é um documento importantíssimo e não deve ser perdido, pode ficar em um local seguro no hotel; já um documento brasileiro como o RG ou CNH pode ser utilizado quando requerido por um atendente de loja, por exemplo.

Gorjeta: Dar gorjeta para os serviços prestados é uma prática muito natural nos Estados Unidos. A gorjeta é dada tanto aos garçons dos restaurantes quanto aos taxistas ou funcionários do hotel que ajudam com as malas. Paga-se, normalmente, entre 15% e 20% do valor total do serviço em gorjeta. Em alguns restaurantes mais refinados, a sugestão de gorjeta poderá ser maior.

Bebidas alcoólicas: Bebidas com álcool só podem ser consumidas por maiores de 21 anos. Não é permitido circular com bebidas alcoólicas à mostra nas ruas, por isso muita gente coloca sua bebida dentro de um saquinho que tampe o rótulo do que se está tomando.
Nunca beba e dirija, você pode ser preso por isso.

Medidas: Os sistemas de medidas utilizados nos EUA são completamente diferentes dos sistemas do Brasil e isso causa muita confusão para quem não está familiarizado a outras medidas. As temperaturas estão sempre dispostas em Fahrenheit (ºF) e não em Celsius (ºC); assim como grandes distâncias são usadas em milhas e não em quilômetros.

Dinheiro: A moeda utilizada nos Estados Unidos é o dólar americano, que pode (e deve!) ser comprado ainda no Brasil. Cartões de crédito são amplamente aceitos nos estabelecimentos comerciais, mas sofrem encargo do IOF (6,38%). Os cartões de débito são aceitos (também com incidência de IOF), mas nem sempre os cartões de débito emitidos no Brasil funcionam como deveriam – caso pretenda utilizar seu cartão de débito, sugerimos que tenha uma maneira alternativa para pagar seus gastos.

 

Referências:

www.vamosparanovayork.com

www.novayork.com

viajeaqui.abril.com.br

www.viagemparanovayork.com.br

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado