Durban

Assim que o visitante desembarca no aeroporto da cidade, logo lhe vem uma pergunta à cabeça: cadê a África que estava aqui? Durban, cidade litorânea a 588 km de Johannesburgo, foge a todas as imagens já divulgadas sobre a África do Sul.Não é de hoje que a cidade tem mostrado seu talento para abrigar estrangeiros. Primeiro, foram os portugueses que, encabeçados pelo explorador Vasco da Gama, chamaram de Natal aquela região selvagem, em homenagem ao dia em que desembarcaram, em 1497, em uma baía do Índico.

Se a maior potência do país é o destino indispensável para compreender o que foram os anos de apartheid, Durban é o exemplo prático de que a democracia (pelo menos a cultural) voltou a ditar as regras naquele país.Séculos mais tarde chegavam os bôeres, de origens holandesas e alemãs, que cruzavam o centro do país em busca de terras mais seguras, longe da colonização britânica que ameaçava os territórios já conquistados na região do Cabo. Considerada a maior concentração de indianos fora da Ásia, essa cidade de passado zulu até parece alguma filial de Bombai ou Nova Déli. É impossível não se confundir entre os aromas e cores que enfeitam o Victoria Market, mercado tradicional de origem indiana, não se entregar a um passeio nos clássicos riquixás orientais importados ou deixar de reverenciar mestres hindus em locais sagrados como o Temple of Understanding.

Mas nem só com curry e saris coloridos se cria um dos destinos mais procurados pelos sul-africanos e estrangeiros que visitam o país. As mesmas águas que fizeram do porto de Durban um dos maiores do continente africano são responsáveis também por quilômetros de belas praias de ondas fortes que convidam famílias e surfistas a dividirem o mesmo território.

Como Chegar 

Não existem voos entre o Brasil e Durban. A cidade de Johannesburgo é a principal porta de entrada no país. De lá a viagem dura pouco mais de uma hora de avião ou cerca de sete horas por via terrestre. O aeroporto King Shaka International está localizado em La Mercy (35 quilômetros do centro de Durban). O trajeto pode ser feito em táxi, shuttles (vans) e carro. No aeroporto há diversas empresas que prestam os serviços.

De carro

Para quem pretende chegar a Durban partindo de Johannesburgo, o acesso é pela Rodovia N3. O percurso tem 588 quilômetros e pode ser feito em cerca de 7 horas.

De ônibus
As principais empresas que atuam no país têm linhas que interligam Durban e várias outras cidades.

Empresas de ônibus
Greyhound: www.greyhound.co.za
Intercape: www.intercape.co.za
Translux: www.translux.co.za
AS Roadlink: www.saroadlink.co.za

Venda de passagens
Computicket: www.computicket.com

De trem
A PRASA é a operadora nacional de ferrovias, com linhas que ligam as principais cidades por meio de trens populares. Para uma viagem com mais conforto e luxo, há o Premier Classe e o Shosholoza Meyl, serviços que ligam Durban a Johannesburgo em trens de luxo, com cabines leito, vagão restaurante e serviços exclusivos.

PRASA: www.prasa.com
Premier Classe: www.premierclasse.co.za
Shosholoza Meyl: www.shosholozameyl.co.za

Informações Úteis:

Documentos necessários: Brasileiros não necessitam de visto para permanência de até 90 dias, basta apresentar o passaporte com validade de até um mês após a data de retorno ao Brasil. O documento dever ter ao menos uma página em branco. O viajante deve ainda apresentar o CIV (Certificado Internacional de Vacinação) com a confirmação da imunização contra febre amarela. Para dirigir é necessário ter a Permissão Internacional para Dirigir (PID), que pode ser obtida junto aos Detrans de cada estado brasileiro. O país segue a mão inglesa de direção (volante no lado direito e tráfego seguindo pela esquerda da via).

Permissão Internacional para Dirigir (PID): Denatran (Departamento Nacional de Transito)

Vacina: contra a febre amarela, que deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque. O viajante pode tomar a vacina gratuitamente nos postos de saúde e centros de imunização públicos e deve alertar ao atendente que necessita do CIV (Certificado Internacional de Vacinação) para que todas as informações sobre a imunização sejam corretamente fornecidas.

Certificado Internacional de Vacinação: Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

O que Fazer 

Um dos principais edifícios da cidade é o City Hall, na região central, que concentra os escritórios da prefeitura e as instalações do Natural Science Museum. Aliás, Durban conta com interessantes museus que ajudam a divulgar a cultura e a história local e nacional.

Localizado no edifício público mais antigo do centro da cidade, o Old Court House Museum tem um acervo variado e salas dedicadas à história de Durban. O Old House Museum fica em uma antiga mansão vitoriana e recria o estilo de vida dos primeiros colonos da classe média alta local.

O passado da segregação racial é a temática de outros dois museus, o Kwa Muhle e o Cato Manor Heritage Centre. Com vista panorâmica da Baía de Durban, o Port Natal Maritime Museum está instalado em um antigo rebocador a vapor e guarda objetos da cultura marítima.

A passagem de Vasco da Gama pela região é simbolizada em um dos marcos da cidade, o Da Gama Clock, uma pequena capela com um relógio em sua ponta que homenageia o explorador português. Já a influência indiana é marcante no Temple of Understanding, considerado o maior templo Hare Krishna do Hemisfério Sul.

Imperdível é o uShaka Marine World, gigantesco complexo marinho que reúne aquários, diversidade animal e um parque aquático. Outro atrativo ligado à natureza é o Durban Botanic Gardens, um agradável jardim botânico formado pela flora encontrada na África, na Ásia e nas Américas.

Praias 

Na área mais central da cidade, o Beachfront é um paraíso com seis quilômetros de extensão e praias protegidas por redes contra tubarões. Conhecido como Golden Mile, o calçadão local oferece opções de restaurantes, bares, hotéis e parques de diversão. É ali que o visitante pode contratar os serviços de passeios em riquixás, típica carroça de origem asiática. Destaque para as praias de South Beach, North Beach e Bay of Plenty.

Ao Norte de Durban (cerca de 15 minutos) fica a praia de Uhmlanga Rocks. Na sua orla há hotéis, apartamento luxuosos, restaurantes, cafés, bares e clubes noturnos, que conferem ao local uma atmosfera vibrante.

 

Qual a Melhor época para ir? 

Durban é um destino que pode ser visitado o ano todo. O clima é agradável o ano todo, mas é particularmente especial entre os meses de abril e julho, quando os dias são quentes, o mar está morno e as noites são frescas. Os meses de alto verão (dezembro a fevereiro) são mais quentes e úmidos que a média, uma temporada de maior incidência de chuvas.

 

Referências:

http://www.durbanexperience.co.za/Pages/default.aspx

http://www.durban.gov.za/Pages/default.aspx

http://viagem.uol.com.br/guia/durban—guia-turistico/durban/planejando-ir/index.htm

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado