Conectados: 69% dos pessoas levam notebook nas viagens

s pessoas estão cada vez mais conectadas, e isso já não é uma novidade. Apesar disso, a questão vai mais além: mais da metade dos viajantes levam seus notebooks como parte dos itens indispensáveis. Segundo uma pesquisa feita pelo Instituto Yougov, a pedido da Intel, 69% dos viajantes conectados carregam o item e um em cada três entrevistados admitiu ficar estressado se deixar o equipamento em casa.

Ainda de acordo com o levantamento, realizado em setembro, com 502 viajantes estadunidenses, o novo companheiro fiel precisa ser de alto desempenho, e os usuários esperam encontrar uma conexão acessível, confiável e consistente no local de destino. Confira alguns destaques do estudo:

LENTIDÃO DOLOROSA
A baixa velocidade da conexão da internet é motivo de dor de cabeça para sete em cada dez viajantes (71%). Além disso, cerca de 55% ainda revelou que o estresse se deve, em maioria, ao fato de não conseguirem navegar ou receber e responder seus e-mails rapidamente.

LOCAIS INUSITADOS
Os viajantes fazem o impossível para se manterem conectados, nem que para isso alguns locais inusitados, mas com conexão de internet, sejam usados. Segundo a pesquisa, 81% dos entrevistados admitiram que a falta de conexão os fizeram escolher localidades pouco usuais.

Ainda que restaurantes (60%) sejam os locais mais comuns de conexão nesses casos, quatro entre dez entrevistados disseram ter se conectado em estacionamentos. Há registros também de quem abriu o computador para acessar a web no parque, na praia, no bar, no acostamento da estrada ou em uma parada de descanso.

MUITO ENTRETENIMENTO, MAS SEMPRE HÁ O E-MAIL
Mais da metade dos entrevistados (53%) se conecta para acessar as redes sociais, além de assistir a vídeos e filmes ou jogar. Apesar disso, há algo que domina: ler e responder os e-mails, que representou a atividade principal de 90% dos consultados.

PAGAR OU NÃO PAGAR?
O preço é sempre uma ressalva. Mais da metade (55%) dos entrevistados afirmam que não pagam — ou optam por tarifas “mais justas” do wi-fi durante as viagens. Apesar disso, pouco mais de um quarto (26%) diz estar disposto a pagar por um curto período do serviço.

 

Fonte: www.panrotas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado