A antecedência ideal para pagar menos na passagem aérea

São Paulo – Comprar a passagem aérea com a maior antecedência possível com relação à data da viagem ao exterior não garante, necessariamente, o menor preço do bilhete.

É o que aponta um levantamento feito pelo Mundi, site que compara preços de passagens aéreas, a pedido de EXAME.com. A pesquisa inclui viagens de São Paulo a seis cidades: Buenos Aires, Lisboa, Miami, Nova York, Paris e Santiago.Para garantir o menor preço, a antecedência ideal para a compra do bilhete varia, em média, de cerca de dois a seis meses, de acordo com o destino.

Para quem busca o melhor custo-benefício, a compra pode ter de ser realizada em pouco mais de um mês a até nove meses antes da data do passeio, em média.

Veja na tabela os resultados da pesquisa:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Mundi 

*Valores cobrados apenas nos voos mais baratos de cada companhia. **Taxas oferecidas em todos os tipos de voos, desde os mais econômicos e com mais escalas até os voos econômicos sem escalas e os voos em classe executiva. Vale ressaltar que as passagens mais baratas, apresentadas na primeira coluna, geralmente são vendidas em voos mais longos e com escalas, o que pode tornar a compra desvantajosa.

Já o valor médio dos bilhetes da segunda coluna inclui também passagens econômicas sem escalas e bilhetes para a classe executiva, que podem oferecer um custo-benefício melhor ao viajante. A pesquisa reuniu dados de buscas feitas no site nos últimos dois anos, no período de 3 de março de 2013 a 3 de março de 2015. De acordo com a empresa, são realizadas cerca de 3 milhões de pesquisas por mês.

O comparador de preços apenas levou em consideração a antecedência necessária para garantir os menores e melhores preços, independentemente do período do ano em que foram realizadas as buscas e das datas das viagens. Para chegar aos resultados, foram excluídas ofertas de última hora, realizadas até 15 dias antes das viagens pelas companhias aéreas.

Viagens para os Estados Unidos exigem menos planejamento

As compras de passagens aéreas para as cidades americanas de Miami e Nova York são as que menos exigem planejamento. Segundo o levantamento, a antecedência da compra que garante preços menores, em média, é de 53 dias para Miami e 56 dias no caso de Nova York. De acordo com Ana Araújo, CEO do Mundi, o dado pode ser explicado pela maior oferta de voos existente entre Brasil e Estados Unidos. “Um acordo realizado no final de 2010 entre os dois países vem aumentando o número de voos nesses trechos. Diante de uma maior concorrência, as companhias aéreas passaram a oferecer mais bilhetes promocionais na disputa por passageiros”.

Se o destino for alguma cidade da da Europa, o prazo ideal para a aquisição dos bilhetes pode ser equivalente ao dobro ou triplo do planejamento necessário para viagens aos Estados Unidos. Passagens aéreas para Paris devem ser compradas 109 dias antes do passeio. Para Lisboa, a antecedência necessária para garantir o menor preço é de 173 dias. Na América Latina, enquanto os menores preços para Buenos Aires podem ser encontrados, em média, 104 dias antes da data da viagem, caso o destino seja Santiago esse tempo aumenta para 179 dias (veja quais são os meses mais caros e baratos para viajar).

Compra com muita antecedência tem promoções mais limitadas

Caso a compra da passagem aérea seja feita com muita antecedência com relação à data da viagem, o viajante pode encontrar menos bilhetes em oferta. Prazos mais longos tornam mais difícil para as companhias aéreas preverem qual será a demanda pelos voos, diz Ana, do Mundi. “Por isso, as empresas acabam fazendo promoções e adequando os preços cobrados apenas quando esse cenário fica mais claro”.

Como a oferta e a demanda por voos estão sempre sujeitas às oscilações e dependem do cenário econômico, a antecedência ideal para as compras deve ser utilizada apenas como uma orientação para os viajantes, e não deve ser o único motivo para definir o momento da aquisição.

De qualquer forma, ao seguir a velha regra de fazer a compra com antecedência, o viajante consegue diminuir os riscos de encontrar preços maiores caso haja um aumento imprevisto da demanda pelos voos ou uma alta inesperada do dólar (os preços dos bilhetes variam de acordo com a cotação da moeda americana).

Mudanças nas estratégias comerciais das companhias aéreas também podem reduzir o número de assentos, o que também pode fazer com que os bilhetes fiquem mais caros, caso a demanda por viagens no trecho mantenha o mesmo nível.

Fonte: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/a-antecedencia-ideal-para-pagar-menos-na-passagem-aerea

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado